Lic. Física/MI Engenharia Física e Lic. Matemática

Estudante96

Membro Veterano
Matrícula
9 Novembro 2018
Mensagens
427
Curso
Matemática
Instituição
FCUP
Olá a todos,
Para dar algum contexto, eu já frequentei o ensino superior, mas candidatei-me a um curso que, percebi mais tarde, nem sequer estava na área que eu realmente pretendia estudar. Desta forma, tomei a decisão de mudar de curso e ir atrás daquilo que me fascina que são as áreas da física e da matemática. Fui bom aluno no secundário (19 a mat, tendo tido 19 no exame; 19 a fq, tendo tido 17,3 no exame; 20 a física no 12º) e rapidamente percebi que matematica era realmente algo que me dava imenso gosto estudar e senti que era realmente "a minha cena" (não sei bem como o descrever melhor, é algo que adoro estudar e sinto que tenho algum jeito xD). Já física foi um gosto mais tardio, pois sempre achei giro no 10º e 11º, mas só no 12º é que comecei a gostar verdadeiramente daquilo e a divertir-me com esse estudo, embora tenha a convicção que tenho mais jeito para matemática do que para física (o que, eventualmente, acredito que possa ser trabalhado, pois senti uma evolução imensa em física do 12º).

Relativamente à matemática, arrisco a dizer que é a minha disciplina favorita. Gostei de todos os temas que abordei de matemática (sei que haverá muitos outros com os quais ainda não tive contacto) e sei que uma licenciatura em matemática implica um raciocínio mais abstrato, o que, sinceramente, não acho que seja um problema, pois gosto muito de pensar sobre ideias e conceitos teóricos e até o próprio rigor formal associado à matemática me cativa. Desta forma, não tenho dúvidas que iria adorar fazer o curso de matemática, estando as minhas dúvidas mais ligadas aos trabalhos que um matematico pode desempenhar.

Relativamente a física, é uma possibilidade em cima da mesa por vários motivos, pois, ao frequentar física continuo a ter alguma matemática relevante (o contrário não é necessariamente verdade) e porque "pensar sobre ideias e conceitos teóricos" também acontece em física, embora de maneira diferente. Eu gosto mesmo da "parte mais matemática" da física, isto é, a dedução de fórmulas, a resolução de problemas, tudo isso me interessa muito. Porém, a física tem uma parte mais descritiva onde a forma como os fenómenos ocorrem é explicada "em texto", o que acho muito interessante, pois é informação que permite pensar como as coisas ocorrem, mas, talvez por o meu curso anterior ter sido bastante descritivo, me deixa reticente (a parte descritiva em matematica é mais reduzida). Física tem a vantagem de oferecer um maior leque de competências (nomeadamente laboratoriais).

Só para esclarecer o que quero dizer, todo o curso terá uma componente mais descritiva, incluindo o de matemática certamente. A questão é que esta pode ser mais ou menos extensa e, se a mim me interessa mais um exercício mais matemático e lógico-dedutivo e uma linguagem matematica em detrimento de uma abordagem mais descritiva, talvez matemática esteja mais próximo de me oferecer aquilo que eu procuro e goste mais do curso.

As questões que pretendo colocar a estudantes de física e matemática são, então, as seguintes:
Quais são os trabalhos que um matematico pode desempenhar ao certo? Na maioria destes trabalhos a matemática é realmente algo presente ou as empresas contratam pela "capacidade de te desenrascares"? Sei que Estatística, gestão de risco etc são opções, um licenciado em matemática será aceite num mestrado em Ciencia de Computadores caso pretenda seguir essa área se não tiver feito minor em CC? (deduzo que com minor seja possível).
Consideram que o curso de física/engenharia física tem uma parte descritiva extremamente presente em cada cadeira? (Eu coloco esta questão pois, apesar do secundário não ser representativo do ensino superior, é a referência que tenho e, por exemplo, no secundário, o pouco de termodinâmica que é ensinada é capaz de ter uma parte descritiva superior à parte matematica, o que acredito que mude quando se começa a aprofundar o tema e a estuda-lo após aprender as ferramentas matematicas apropriadas, mas esse facto leva-me a questionar se a parte descritiva na licenciatura em física será algo muito presente).

Peço desculpa pelo texto enorme e espero ter-me explicado de forma adequada. Desde já agradeço a atenção e as eventuais respostas.
 
  • Like
Reactions: Alterado

Marco L.

marq muito físiq
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
8 Julho 2016
Mensagens
10,632
Curso
Física
Instituição
FCUP
Olá a todos,
Para dar algum contexto, eu já frequentei o ensino superior, mas candidatei-me a um curso que, percebi mais tarde, nem sequer estava na área que eu realmente pretendia estudar. Desta forma, tomei a decisão de mudar de curso e ir atrás daquilo que me fascina que são as áreas da física e da matemática. Fui bom aluno no secundário (19 a mat, tendo tido 19 no exame; 19 a fq, tendo tido 17,3 no exame; 20 a física no 12º) e rapidamente percebi que matematica era realmente algo que me dava imenso gosto estudar e senti que era realmente "a minha cena" (não sei bem como o descrever melhor, é algo que adoro estudar e sinto que tenho algum jeito xD). Já física foi um gosto mais tardio, pois sempre achei giro no 10º e 11º, mas só no 12º é que comecei a gostar verdadeiramente daquilo e a divertir-me com esse estudo, embora tenha a convicção que tenho mais jeito para matemática do que para física (o que, eventualmente, acredito que possa ser trabalhado, pois senti uma evolução imensa em física do 12º).

Relativamente à matemática, arrisco a dizer que é a minha disciplina favorita. Gostei de todos os temas que abordei de matemática (sei que haverá muitos outros com os quais ainda não tive contacto) e sei que uma licenciatura em matemática implica um raciocínio mais abstrato, o que, sinceramente, não acho que seja um problema, pois gosto muito de pensar sobre ideias e conceitos teóricos e até o próprio rigor formal associado à matemática me cativa. Desta forma, não tenho dúvidas que iria adorar fazer o curso de matemática, estando as minhas dúvidas mais ligadas aos trabalhos que um matematico pode desempenhar.

Relativamente a física, é uma possibilidade em cima da mesa por vários motivos, pois, ao frequentar física continuo a ter alguma matemática relevante (o contrário não é necessariamente verdade) e porque "pensar sobre ideias e conceitos teóricos" também acontece em física, embora de maneira diferente. Eu gosto mesmo da "parte mais matemática" da física, isto é, a dedução de fórmulas, a resolução de problemas, tudo isso me interessa muito. Porém, a física tem uma parte mais descritiva onde a forma como os fenómenos ocorrem é explicada "em texto", o que acho muito interessante, pois é informação que permite pensar como as coisas ocorrem, mas, talvez por o meu curso anterior ter sido bastante descritivo, me deixa reticente (a parte descritiva em matematica é mais reduzida). Física tem a vantagem de oferecer um maior leque de competências (nomeadamente laboratoriais).

Só para esclarecer o que quero dizer, todo o curso terá uma componente mais descritiva, incluindo o de matemática certamente. A questão é que esta pode ser mais ou menos extensa e, se a mim me interessa mais um exercício mais matemático e lógico-dedutivo e uma linguagem matematica em detrimento de uma abordagem mais descritiva, talvez matemática esteja mais próximo de me oferecer aquilo que eu procuro e goste mais do curso.

As questões que pretendo colocar a estudantes de física e matemática são, então, as seguintes:
Quais são os trabalhos que um matematico pode desempenhar ao certo? Na maioria destes trabalhos a matemática é realmente algo presente ou as empresas contratam pela "capacidade de te desenrascares"? Sei que Estatística, gestão de risco etc são opções, um licenciado em matemática será aceite num mestrado em Ciencia de Computadores caso pretenda seguir essa área se não tiver feito minor em CC? (deduzo que com minor seja possível).
Consideram que o curso de física/engenharia física tem uma parte descritiva extremamente presente em cada cadeira? (Eu coloco esta questão pois, apesar do secundário não ser representativo do ensino superior, é a referência que tenho e, por exemplo, no secundário, o pouco de termodinâmica que é ensinada é capaz de ter uma parte descritiva superior à parte matematica, o que acredito que mude quando se começa a aprofundar o tema e a estuda-lo após aprender as ferramentas matematicas apropriadas, mas esse facto leva-me a questionar se a parte descritiva na licenciatura em física será algo muito presente).

Peço desculpa pelo texto enorme e espero ter-me explicado de forma adequada. Desde já agradeço a atenção e as eventuais respostas.
Isso da "parte descritiva" tens em todo o lado, tanto em Matemática como em Física, por muito pouca que seja. Não sei até que ponto é que a Matemática é menos "descritiva" que a Física, mas o @Alfa pode dar uma ajuda aqui.

Mas enfim, pelo que tenho visto, grande parte das cadeiras de Física são pouco descritivas e mais matemática dura (e olha que termodinâmica tem muito mais do que aquilo que imaginas xD)
 

Marco Ramos

Membro Veterano
Matrícula
27 Janeiro 2018
Mensagens
498
Curso
Engenharia Fisica
Instituição
FCUP
Não entendo muito bem o que queres dizer com o teu "descritivo". Na realidade só entendes bem certos assuntos em matemática ou física se os conseguires descrever em casos reais ou conseguires usar certos truques e habilidades "mentais" para os meteres a fazer sentido na tua cabeça...
Para que fiques a saber em qualquer cadeira de física, mas mesmo todas as cadeiras de física dadas na licenciatura/mestrado utilizam sempre a matemática para resolver certos problemas etc etc(física é matemática aplicada a certo ponto)...
Eu quando tava no 11º pensava que queria matemática depois percebi que o que realmente gostava era física.
 

Alfa

#pdralfa 🌈
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
2 Agosto 2015
Mensagens
8,428
Curso
Matemática
Instituição
FCUL
@Estudante96,

Vou tentar esclarecer algumas das tuas questões. Estudei Matemática, pelo que as minhas respostas irão focar-se mais no curso de Matemática.

Pelo que dizes na tua primeira mensagem, tiveste bons resultados em Matemática no secundário e gostas de Matemática. Apesar da grande diferença entre o secundário e o superior no que toca à Matemática, isto já são dois bons indicadores de que te darias bem num curso de Matemática (em termos de gosto e de resultados), especialmente porque pareces ter já a noção de que a Matemática do superior é mais teórica e abstracta. A determinada altura mencionas que gostaste da parte mais matemática da Física no secundário. Isto também pode indicar que estarias melhor num curso de Matemática do que num curso de Física. Tive alguns colegas que também gostaram de Física pela sua componente matemática, seguiram Matemática e acabaram por se aperceber de que tinham tomado uma boa decisão. É claro que isto depende bastante da pessoa e eu estou apenas a tentar extrair conclusões daquilo que disseste.

Posto isto, deixa-me então falar um pouco dessa questão que pões sobre a componente mais "descritiva" da Física ou da Matemática. Eu acho que aquilo em que deves pensar não é tanto na dicotomia "raciocínio lógico-matemático"/"explicação textual". Quando se pensa em ideias e conceitos abstractos em Matemática, também se usa uma linguagem mais "textual"; por exemplo, muitas demonstrações em livros e artigos científicos em Matemática são essencialmente "textos argumentativos" numa linguagem altamente precisa e rigorosa que não incluem assim tantos símbolos, equações ou fórmulas. Isso não torna essas demonstrações em algo com um carácter assim tão distinto de uma dedução matemática formal ou simbólica; continuam a ser rigorosas e "matemáticas". Ao contrário do que por vezes se pensa, não é necessário redigir uma afirmação matemática de forma totalmente simbólica e formal para que esta seja considerada rigorosa; isso pode até ser um obstáculo à inteligibilidade dessa mesma afirmação.

De qualquer forma, penso que aquilo que preocupa (e isto já é uma tentativa minha de esmiuçar melhor o que pretendes dizer) não é tanto esta dicotomia entre a linguagem simbólica e a linguagem comum, "em texto", mas sim a dicotomia entre uma explicação ou justificação matemática mais "dura", demonstrativa, dedutiva, e uma explicação verbal mais factual que dedutiva, o género de coisa que mais facilmente se memoriza do que se demonstra. Se é a isto que te referes, eu diria que encontras muito pouco ou nada deste género em Matemática (e também muito pouco em Física, segundo consigo perceber).

Em relação à empregabilidade, é verdade que o curso de Matemática tem uma taxa de empregabilidade muito elevada, mas isso deve-se à desejabilidade dos matemáticos por parte de algumas empresas. Estas têm mais interesse em matemáticos pela sua capacidade de pensamento lógico, crítico, analítico e de resolução de problemas do que propriamente pelos conhecimentos matemáticos que adquiriram (especialmente se se tratam de matemáticos com uma formação mais "pura"), pelo que o trabalho desempenhado não envolve provavelmente muita da Matemática que aprendes. Se o teu interesse é em compreender mais a fundo conceitos matemáticos teóricos, podes fazer uma licenciatura e até um mestrado em Matemática, mas para usares esses conceitos de forma central no teu trabalho, terás provavelmente de seguir uma carreira mais académica ligada à investigação matemática.

Já escrevi muita coisa sobre o curso de Matemática e suas características neste tópico: Matemática . Recomendo que dês uma vista de olhos e faças quaisquer questões que tenhas. ;)
 

Estudante96

Membro Veterano
Matrícula
9 Novembro 2018
Mensagens
427
Curso
Matemática
Instituição
FCUP
@Estudante96,

Vou tentar esclarecer algumas das tuas questões. Estudei Matemática, pelo que as minhas respostas irão focar-se mais no curso de Matemática.

Pelo que dizes na tua primeira mensagem, tiveste bons resultados em Matemática no secundário e gostas de Matemática. Apesar da grande diferença entre o secundário e o superior no que toca à Matemática, isto já são dois bons indicadores de que te darias bem num curso de Matemática (em termos de gosto e de resultados), especialmente porque pareces ter já a noção de que a Matemática do superior é mais teórica e abstracta. A determinada altura mencionas que gostaste da parte mais matemática da Física no secundário. Isto também pode indicar que estarias melhor num curso de Matemática do que num curso de Física. Tive alguns colegas que também gostaram de Física pela sua componente matemática, seguiram Matemática e acabaram por se aperceber de que tinham tomado uma boa decisão. É claro que isto depende bastante da pessoa e eu estou apenas a tentar extrair conclusões daquilo que disseste.

Posto isto, deixa-me então falar um pouco dessa questão que pões sobre a componente mais "descritiva" da Física ou da Matemática. Eu acho que aquilo em que deves pensar não é tanto na dicotomia "raciocínio lógico-matemático"/"explicação textual". Quando se pensa em ideias e conceitos abstractos em Matemática, também se usa uma linguagem mais "textual"; por exemplo, muitas demonstrações em livros e artigos científicos em Matemática são essencialmente "textos argumentativos" numa linguagem altamente precisa e rigorosa que não incluem assim tantos símbolos, equações ou fórmulas. Isso não torna essas demonstrações em algo com um carácter assim tão distinto de uma dedução matemática formal ou simbólica; continuam a ser rigorosas e "matemáticas". Ao contrário do que por vezes se pensa, não é necessário redigir uma afirmação matemática de forma totalmente simbólica e formal para que esta seja considerada rigorosa; isso pode até ser um obstáculo à inteligibilidade dessa mesma afirmação.

De qualquer forma, penso que aquilo que preocupa (e isto já é uma tentativa minha de esmiuçar melhor o que pretendes dizer) não é tanto esta dicotomia entre a linguagem simbólica e a linguagem comum, "em texto", mas sim a dicotomia entre uma explicação ou justificação matemática mais "dura", demonstrativa, dedutiva, e uma explicação verbal mais factual que dedutiva, o género de coisa que mais facilmente se memoriza do que se demonstra. Se é a isto que te referes, eu diria que encontras muito pouco ou nada deste género em Matemática (e também muito pouco em Física, segundo consigo perceber).

Em relação à empregabilidade, é verdade que o curso de Matemática tem uma taxa de empregabilidade muito elevada, mas isso deve-se à desejabilidade dos matemáticos por parte de algumas empresas. Estas têm mais interesse em matemáticos pela sua capacidade de pensamento lógico, crítico, analítico e de resolução de problemas do que propriamente pelos conhecimentos matemáticos que adquiriram (especialmente se se tratam de matemáticos com uma formação mais "pura"), pelo que o trabalho desempenhado não envolve provavelmente muita da Matemática que aprendes. Se o teu interesse é em compreender mais a fundo conceitos matemáticos teóricos, podes fazer uma licenciatura e até um mestrado em Matemática, mas para usares esses conceitos de forma central no teu trabalho, terás provavelmente de seguir uma carreira mais académica ligada à investigação matemática.

Já escrevi muita coisa sobre o curso de Matemática e suas características neste tópico: Matemática . Recomendo que dês uma vista de olhos e faças quaisquer questões que tenhas. ;)
Muito obrigado pela resposta, tudo o que retiraste e concluiste da minha mensagem é exatamente o que eu queria dizer. Relativamente à parte da carreira académica, não posso dizer que seja algo que nunca me passou pela cabeça, mas também quero ter outras opções profissionais "disponíveis" e aí física parece-me ter uma ou outra vantagens no sentido em que, por exemplo, um engenheiro físico que não siga a carreira académica terá a Física consideravelmente presente no seu trabalho (enquanto a matemática presente no trabalho de um matemático nas mesmas condições, isto é, que não tenha seguido a vertente académica, será mais reduzida). Aliás, o facto de querer outras opções em aberto também tem a ver com o facto de, neste momento, não saber ao certo se, no fim do curso, essa vertente académica me interessa e de este caminho académico ser complicado por vários motivos.
Agradeço mais uma vez a atenção, houve algumas questões em que fiquei mais esclarecido!
 
  • Like
Reactions: Alfa

Marco Ramos

Membro Veterano
Matrícula
27 Janeiro 2018
Mensagens
498
Curso
Engenharia Fisica
Instituição
FCUP
Epah, por falar nisso, tenho um colega que tirou fisica com minor em matemática e depois de acabar a licenciatura, foi para matematica e em 1 ano acabou matematica com minor em fisica ( porque teve equivalências de muitas cadeiras) e fez umas a mais nesse ano também... e agora vai para mestrado em matemática...
 
  • Like
Reactions: Alfa and Rui Veiga

Alfa

#pdralfa 🌈
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
2 Agosto 2015
Mensagens
8,428
Curso
Matemática
Instituição
FCUL
Epah, por falar nisso, tenho um colega que tirou fisica com minor em matemática e depois de acabar a licenciatura, foi para matematica e em 1 ano acabou matematica com minor em fisica ( porque teve equivalências de muitas cadeiras) e fez umas a mais nesse ano também... e agora vai para mestrado em matemática...
Também tenho vários colegas de doutoramento (em Matemática) que se licenciaram em Física e fizeram mestrado em Matemática. Gostavam mais de Matemática e sentiam-se insatisfeitos com a forma superficial como a Matemática era ensinada em Física (não é uma crítica, é perfeitamente natural que, em Física, a abordagem à parte matemática seja mais orientada para as necessidades dos físicos e não para o interesse intrinsecamente matemático dos assuntos). Mas esses meus colegas passaram parte do terceiro ano a assistir a algumas disciplinas de Matemática e a estudar autonomamente vários assuntos de Matemática pura.
 

Marco Ramos

Membro Veterano
Matrícula
27 Janeiro 2018
Mensagens
498
Curso
Engenharia Fisica
Instituição
FCUP
Sim é verdade, maior parte da matemática que usamos para resolver problemas fisicos é moldado para o que queremos, já os matemáticos vão a todos os pormenores etc etc... Superficial é um pouco drástico! Porque por exemplo tive cadeiras que o professor dava a resolução dos teoremas matemáticos todos em vez de só mostrar a solução,só não aprendia quem não queria, e também(pelo menos na altura que tava no 1º ano) as minhas cadeiras de matemática eram dadas com os alunos de matemática e os testes eram os mesmo . E @Alfa sabes bem que em topicos de física teórica o nível de matemática é o mesmo visto que muitos fisicos teóricos tiram minor em mat para conseguirem aguentar o mestrado/doutoramento...
 
  • Like
Reactions: Alexandre André

Alfa

#pdralfa 🌈
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
2 Agosto 2015
Mensagens
8,428
Curso
Matemática
Instituição
FCUL
Sim é verdade, maior parte da matemática que usamos para resolver problemas fisicos é moldado para o que queremos, já os matemáticos vão a todos os pormenores etc etc... Superficial é um pouco drástico! Porque por exemplo tive cadeiras que o professor dava a resolução dos teoremas matemáticos todos em vez de só mostrar a solução,só não aprendia quem não queria, e também(pelo menos na altura que tava no 1º ano) as minhas cadeiras de matemática eram dadas com os alunos de matemática e os testes eram os mesmo . E @Alfa sabes bem que em topicos de física teórica o nível de matemática é o mesmo visto que muitos fisicos teóricos tiram minor em mat para conseguirem aguentar o mestrado/doutoramento...
Eu disse que a Matemática era ensinada de forma mais superficial no curso de Física e que esses meus colegas queriam aprender mais Matemática. Não disse que em Física só se usa Matemática superficial. Realmente, em Física teórica usam-se ferramentas matemáticas bastante sofisticadas. A abordagem continua a ser diferente da abordagem que os matemáticos têm a esses assuntos, mas sim, não é superficial.
 
  • Like
Reactions: Marco Ramos

Estudante96

Membro Veterano
Matrícula
9 Novembro 2018
Mensagens
427
Curso
Matemática
Instituição
FCUP
@Alfa,
Atendendo a que és de matemática, gostaria de te colocar mais uma questão que já tenho há algum tempo. Parece-me lógico que alguém que tire um mestrado em matemática aplicada acabará por usar mais aquilo que aprendeu durante esse mestrado no seu trabalho (presumindo que tem um trabalho "não académico") do que alguém com um mestrado em matemática pura. Claro que a matemática será diferente num caso e noutro, mas isso lembrou-me do mestrado em engenharia matemática que sei existir na FCUP.
Gostaria então de saber em traços gerais, caso estejas dentro do assunto, que tipo de coisa é aprofundada neste mestrado mais focado em aplicações e se existem alguns tipos de trabalho (não académicos) que usualmente contrate pessoas com este tipo de formação (e se, neste caso, o conhecimento matemático adquirido durante o curso é realmente mais utilizado)?
Desde já obrigado pela atenção e desculpa o incómodo!
 

Alfa

#pdralfa 🌈
Equipa Uniarea
Moderador
Matrícula
2 Agosto 2015
Mensagens
8,428
Curso
Matemática
Instituição
FCUL
Parece-me lógico que alguém que tire um mestrado em matemática aplicada acabará por usar mais aquilo que aprendeu durante esse mestrado no seu trabalho (presumindo que tem um trabalho "não académico") do que alguém com um mestrado em matemática pura.
Isto depende do trabalho que a pessoa tem. Há empregos (não académicos) que envolvem mesmo muito pouca Matemática propriamente dita.

Gostaria então de saber em traços gerais, caso estejas dentro do assunto, que tipo de coisa é aprofundada neste mestrado mais focado em aplicações e se existem alguns tipos de trabalho (não académicos) que usualmente contrate pessoas com este tipo de formação (e se, neste caso, o conhecimento matemático adquirido durante o curso é realmente mais utilizado)?
Honestamente, sei pouco sobre este mestrado. Talvez se adquiram conhecimentos mais especializados e orientados para carreiras no mundo empresarial, mas terás de falar com alguém que esteja mais por dentro desse assunto.