Matemática A - Exame

 
Boas, alguém sabe se no exame podemos fazer a fórmula resolvente na calculadora e apenas anunciamos que a usamos com um ''F.R.'' ou temos que a fazer manualmente?
Eu sei que em casos de números complexos temos que fazer manualmente mas para cálculos intermédios sempre usei a calculadora para poupar tempo...
Creio que não necessitas de fazer manualmente (a menos que surjam raízes, claro).
 
  • Like
Reactions: zephyrot
Boas, alguém sabe se no exame podemos fazer a fórmula resolvente na calculadora e apenas anunciamos que a usamos com um ''F.R.'' ou temos que a fazer manualmente?
Eu sei que em casos de números complexos temos que fazer manualmente mas para cálculos intermédios sempre usei a calculadora para poupar tempo...
O que me disseram foi que tinha de apresentar o primeiro passo da fórmula e depois podia colocar logo os zeros, acho que mais vale jogar pelo seguro e perder uns segundos a escrever
 
Pelo que sei... antes só era preciso apresentares as soluções, mas mudaram as "regras", agora tens de apresentar a resolução da fórmula resolvente.
 
Alguém me explica como é que interseto duas retas cartesianas?
Como é que se o resolve o sistema ou melhor como "desdobro" as eq. por estarem "=" ?

Espero que me tenha feito entender. Obrigado!
 
Boas podem me explicar resumidamente a aplicação da regra de Cauchy em limites? Em que afeta isso na resolução dos mesmos? Agradecido a quem me responder :)

Poder, até posso, mas não a podes usar em exame.

A regra diz que, quando tens um limite com uma indeterminação do tipo 0/0 ou infinto/infinito, podes derivar o numerador e o denominador da fracção e o limite do que obtém é igual ao limite original. Isto permite levantar a indeterminação em muitos casos.

Por exemplo:

[latex]\lim_{x\rightarrow 3} \frac{2x^2 - 8x+6}{x^2-3x} = \lim_{x\rightarrow 3}\frac{(2x^2 - 8x + 6)^'}{(x^2-3x)^'} = \lim_{x\rightarrow 3}\frac{4x-8}{2x-3} = \frac{4}{3}[/latex]
 
Poder, até posso, mas não a podes usar em exame.

A regra diz que, quando tens um limite com uma indeterminação do tipo 0/0 ou infinto/infinito, podes derivar o numerador e o denominador da fracção e o limite do que obtém é igual ao limite original. Isto permite levantar a indeterminação em muitos casos.

Por exemplo:

[latex]\lim_{x\rightarrow 3} \frac{2x^2 - 8x+6}{x^2-3x} = \lim_{x\rightarrow 3}\frac{(2x^2 - 8x + 6)^'}{(x^2-3x)^'} = \lim_{x\rightarrow 3}\frac{4x-8}{2x-3} = \frac{4}{3}[/latex]
Ah é isso? Nnc tinha ouvido falar nem nunca tinha aplicado em limites sendo assim já fico descansado obrigado :)
 
  • Like
Reactions: Alfa
Bem, faltam 3 dias de estudo para o exame de Matemática, está curto de tempo...
É aquela hora em que começamos a questionar os nossos métodos de estudo e o nosso trabalho até agora, em que cada exercício falhado é um presságio de insucesso para sexta :D
Resolvi o exame de 2014 há pouco, achei muito mais difícil que os de 2016 e que os de 2015 (estes de 2015 eram muito fáceis mesmo, oxalá venha um deste nível)...
 
Bem, faltam 3 dias de estudo para o exame de Matemática, está curto de tempo...
É aquela hora em que começamos a questionar os nossos métodos de estudo e o nosso trabalho até agora, em que cada exercício falhado é um presságio de insucesso para sexta :D
Resolvi o exame de 2014 há pouco, achei muito mais difícil que os de 2016 e que os de 2015 (estes de 2015 eram muito fáceis mesmo, oxalá venha um deste nível)...

Se fosse como o de 2015, era bom sinal.

Hoje estou naquela fase do stress e de achar que não vou conseguir fazer nada de jeito.
 
O de 2016 era razoável, o de 2015 era mesmo fácil, arrisco a dizer que tirava de 18 para cima (vou com 17 a exame), o de 2014 era mesmo difícil pois tem exercícios cujo raciocínio é diferente do que estamos habituados. Aqui vem a velha questão: é por estarmos mal habituados? Talvez, mas nós também não temos a formação e preparação adequada para termos uma certa capacidade criativa, uma certa flexibilidade no que toca a Matemática.
 
  • Like
Reactions: MedDreamer
Bem, faltam 3 dias de estudo para o exame de Matemática, está curto de tempo...
É aquela hora em que começamos a questionar os nossos métodos de estudo e o nosso trabalho até agora, em que cada exercício falhado é um presságio de insucesso para sexta :D
Resolvi o exame de 2014 há pouco, achei muito mais difícil que os de 2016 e que os de 2015 (estes de 2015 eram muito fáceis mesmo, oxalá venha um deste nível)...
Já vi que não sou o único a stressar...
Até andei a estudar desde o inicio das férias, com uma média de uns 2 exames por dia. Lutar contra a procastinação não tem sido fácil, mas há dias melhores que outros, contudo agora começo-me a sentir extremamente nervoso... A maior parte dos exames que tenho feito não me corre muito bem, e fico "parvo" com algumas perguntas que por vezes apanho... Também há matérias em que não me sinto muito seguro, e ter-me dedicado completamente a português nos dias antes do exame também não ajudou.

Vamos lá ver o que acontece, mas estou a ver que não vou conseguir entrar na primeira opção :/
 
Tenho aquela sensação que, por mais que estude, não consigo ter controlo absoluto sobre o meu desempenho, vai haver sempre uma dependência da mood com que estavam lá os senhores do IAVE quando fizeram o exame :D

O meu calcanhar de Aquiles costuma ser os limites, tanto batem todos certinhos como nem o 1º passo consigo dar Que não coloquem nenhum daqueles bem complicados como já vi em 1 ou 2 exames.
 
Tenho aquela sensação que, por mais que estude, não consigo ter controlo absoluto sobre o meu desempenho, vai haver sempre uma dependência da mood com que estavam lá os senhores do IAVE quando fizeram o exame :D

O meu calcanhar de Aquiles costuma ser os limites, tanto batem todos certinhos como nem o 1º passo consigo dar Que não coloquem nenhum daqueles bem complicados como já vi em 1 ou 2 exames.
Regra geral os do IAVE são todos iguais: notáveis. Ficaria impressionada se sexta me deparasse com uma indeterminação diferente e que não envolvesse limites notáveis.
 
  • Like
Reactions: supercar1
Tenho aquela sensação que, por mais que estude, não consigo ter controlo absoluto sobre o meu desempenho, vai haver sempre uma dependência da mood com que estavam lá os senhores do IAVE quando fizeram o exame :D

O meu calcanhar de Aquiles costuma ser os limites, tanto batem todos certinhos como nem o 1º passo consigo dar Que não coloquem nenhum daqueles bem complicados como já vi em 1 ou 2 exames.
E eu tenho a sensação que por mais que estude há sempre coisas que faltam...
Por exemplo, acabei agora de fazer o exame 2016 -1ª fase e na pergunta final falavam-nos numa reta secante nuns certos pontos, e eu não me lembrava do que era uma reta secante o que me comprometeu o resto da pergunta...
Sou aluno de 17, mas há coisas que com o tempo uma pessoa esquece e nunca se sabe o que pode aparecer no exame
 
Regra geral os do IAVE são todos iguais: notáveis. Ficaria impressionada se sexta me deparasse com uma indeterminação diferente e que não envolvesse limites notáveis.

Quase me esqueci de como se levanta indeterminações que não notáveis, já me habituei aos deles, geralmente notáveis.
 
Quase me esqueci de como se levanta indeterminações que não notáveis, já me habituei aos deles, geralmente notáveis.
Precisamente!
Vejamos se este ano são um bocadinho mais originais.
 
Precisamente!
Vejamos se este ano são um bocadinho mais originais.

Eu cá espero que se mantenham tradicionais e que não façam prova para me chatear muito :D

Em condições normais eu gosto de desafios e pensamentos alternativos, mas em contexto de exame e com este cansaço acumulado espero que não fujam ao habitual...
 
Eu cá espero que se mantenham tradicionais e que não façam prova para me chatear muito :D

Em condições normais eu gosto de desafios e pensamentos alternativos, mas em contexto de exame e com este cansaço acumulado espero que não fujam ao habitual...
Ah, sim, nesse sentido sim. Um nível adequado de dificuldade para que as médias também não disparem.