Previsão médias acesso 2020/2021

Tive 174.5 de média (exame de mat A correu mal). Quero ir para a NOVA SBE para economia (média de 17.1 ano passado). Acham que consigo na 1ª fase?
 
Ola. Pretendo ingressar em medicina Veterinária no Porto tenho media de 179.5 mas em relação ao ano passado que ultimo foi de 167.8. Em segunda opção concorri a Utad com 178.2 o ultimo foi de 159.4. Acham que tendo em conta que são provas de 11º e nem que foi repetir exames nacionais este ano eu posso ter uma chance de entrar?
 
  • Like
Reactions: DiogooCruz
Ola. Pretendo ingressar em medicina Veterinária no Porto tenho media de 179.5 mas em relação ao ano passado que ultimo foi de 167.8. Em segunda opção concorri a Utad com 178.2 o ultimo foi de 159.4. Acham que tendo em conta que são provas de 11º e nem que foi repetir exames nacionais este ano eu posso ter uma chance de entrar?
Olá!

Tens mais de um valor acima da nota do ano passado, por isso tens grandes probabilidades de entrar!
Aproveita as férias! Boa sorte :)
 
  • Like
Reactions: arminda moreira
Olá! Acham que a média de Relações Internacionais na FEUC (coimbra) vai subir muito?
Tenho 0,8 a mais que o ultimo colocado e no ano passado estaria tranquila mas este ano estou mesmo com medo, queria muito entrar!!!
 
O que é que influencia as médias e onde é que as novas medidas podem ter impacto. Ora, a nota de candidatura é composta por 2 partes
  • Média do secundário para efeitos de acesso:
    • Eliminação dos 30% na classificação final da disciplina: a tendência é de subida, já que é mais provável descer a nota do que subir. Mas estamos aqui a falar de 2/3/4 valores numa média de 9 (?) disciplinas, que só contam 50% da média. Logo estamos na ordem das décimas em impacto.
    • Eliminação da possibilidade de fazer melhorias do diploma e para efeitos de acesso: considerando que a tentativa de melhoria só tem como dois possíveis resultados a nota mantém-se ou a nota sobe, este factor vem colocar um travão na média do secundário e influenciar no sentido descendente. Mais uma vez, estamos na mesma ordem do ponto anterior.
    • Eliminação dos 2 exames obrigatórios para o ensino profissional + artístico + vocacional: aqui poderá haver um impacto significativo. Muitos alunos destes cursos desciam consideravelmente as médias de secundário para efeitos de acesso, dado que faziam exames de matérias que não fazem parte dos seus cursos, logo não era anormal terem alunos com médias de curso de ~16, e médias dos 2 exames de 10 (ou negativa, muitas das vezes), o que faz logo descer a média do secundário 2 valores. Neste caso a CFCEPE deste aluno passava a ~14. Aqui estamos a falar de subidas na ordem das unidades.
    • Eliminação dos 4 ou 3 exames obrigatórios para o ensino recorrente + científico-tecnológico, respectivamente: acontece o mesmo que o caso acima. Esses 4 ou 3 exames influenciavam a média do secundário para efeitos de acesso destes cursos em 30%. E a média desses 4 exames no caso do recorrente até podia ser negativa. Logo estamos a falar de subidas na ordem das unidades.
    • Impacto das notas do 3 período dado à distância: efeito desconhecido. Muitos poderão ver aqui um factor de facilitação, mas só quando tudo isto acabar e se puder olhar para os dados é que se chegará a uma conclusão (se é que alguém se dará a esse trabalho).

  • Provas de ingresso:
    • Possibilidade de escolher perguntas: se efetivamente avançar o tal esquema de em 10 perguntas o aluno só faz 8 (de acordo com o referido nessa entrevista), a tendência obviamente de subida, já que o aluno fica safo de perguntas onde poderia ter cotação mais baixa. Acho que isto pode levar a subidas desiguais, ou seja, nem todos os alunos podem sair beneficiados com esta medida da mesma forma. As notas que podem subir mais são as que pertencem aos percentis mais baixos e aos intermédios. As notas nos percentis mais altos podem não ser necessariamente mais altas. Tudo dependerá de como for construído o exame.
    • Dificuldade dos exames deste ano: efeito desconhecido. Teorias da conspiração certamente surgirão referindo que o governo não vai querer ficar mal na fotografia especialmente neste período sensível (tal como dizem que o governo o faz em ano de eleições) e que os exames serão mais acessíveis. Só quando saírem as notas podermos saber.
Em conclusão, metendo isto tudo num modelo matemático, com vários factores de incerteza...

gif_capa_v8_convertido.gif


Estou obviamente a brincar, não vale a pena estarem a stressar com isto nesta fase.


Btw, mudei o nome. Todos os anos há um tópico de previsões de médias. Este ano começamos mais cedo. 😅

Hey hey calma ! Não nos esqueçamos que quase 50% dos alunos são alunos de Cursos de planos próprios e cursos profissionais e que maioria sempre ingressou no ensino superior sem que os exames lhes baixassem a média. No meu caso, andei em curso de planos próprios, entrei na faculdade sem que os exames me baixassem a media, só contavam como prova de ingresso Apenas, ou seja, mesmo que a média suba não vai ser grande diferença uma vez que , em vez de serem apenas metade dos alunos a beneficiar dessa vantagem, este ano todos beneficiam o que não vai ser grande diferenca
 
Olá @Juno
Hey hey calma ! Não nos esqueçamos que quase 50% dos alunos são alunos de Cursos de planos próprios e cursos profissionais e que maioria sempre ingressou no ensino superior sem que os exames lhes baixassem a média. No meu caso, andei em curso de planos próprios, entrei na faculdade sem que os exames me baixassem a media, só contavam como prova de ingresso Apenas, ou seja, mesmo que a média suba não vai ser grande diferença uma vez que , em vez de serem apenas metade dos alunos a beneficiar dessa vantagem, este ano todos beneficiam o que não vai ser grande diferenca
Isso não é de todo verdade. Não sei qual é a tua a mostra, mas eu tenho acompanhado (vários milhares) de alunos que entram no ensino superior desde 2014 vindos do ensino profissional + artístico + vocacional + recorrente aqui no Uniarea e a obrigatoriedade de exames que entravam na CFCEPE baixou a média à maioria desses alunos. Além de lhes voltar a baixar a nota de candidatura novamente, dado serem exames com programas diferentes dos seus cursos.

Muitos desses alunos nem concorriam porque nem conseguiam obter os mínimos nos exames para terem provas de ingresso válidas. Basta olhar para as estatísticas e ver que enquanto 88% dos alunos que acabam cursos regulares científico-humanísticos seguem para o ensino superior, apenas 11% dos alunos que acabam o ensino profissional têm o mesmo destino. Não me admiraria que graças aos exames nacionais deste ano esta última percentagem desse um grande salto, e fossem estes alunos um dos principais responsáveis pelo aumento de +11 mil candidatos que temos este ano.
 
Olá @Juno

Isso não é de todo verdade. Não sei qual é a tua a mostra, mas eu tenho acompanhado (vários milhares) de alunos que entram no ensino superior desde 2014 vindos do ensino profissional + artístico + vocacional + recorrente aqui no Uniarea e a obrigatoriedade de exames que entravam na CFCEPE baixou a média à maioria desses alunos. Além de lhes voltar a baixar a nota de candidatura novamente, dado serem exames com programas diferentes dos seus cursos.

Muitos desses alunos nem concorriam porque nem conseguiam obter os mínimos nos exames para terem provas de ingresso válidas. Basta olhar para as estatísticas e ver que enquanto 88% dos alunos que acabam cursos regulares científico-humanísticos seguem para o ensino superior, apenas 11% dos alunos que acabam o ensino profissional têm o mesmo destino. Não me admiraria que graças aos exames nacionais deste ano esta última percentagem desse um grande salto, e fossem estes alunos um dos principais responsáveis pelo aumento de +11 mil candidatos que temos este ano.
Vindo eu de um curso profissional acho que tens razão. Esses 11mil candidatos podem ser do ensino profissional pois o facto de termos PAP's para fazer e um estágio curricular dificulta bastante o estudo. O facto de haver só um exame motivou-me mais para arriscar este ano apesar de não ter sido fácil estudar na mesma. Conheço imensa gente do profissional que foi pelo Concurso Nacional de Acesso e não me admirava nada que houvesse uma grande subida este ano.
 
  • Like
Reactions: davis
Eu quero entrar em Biologia na FCUL, a média do ano passado foi 147.5 e a minha nota de entrada é 166.0.
Acham que entro no curso ou é melhor fazer segunda fase?
 
Boa Tarde.
Tal como muitos de vocês, estou muito preocupada com a minha candidatura pois posso não entrar.
Eu queria muito entrar na ESEP, a nota do ultimo candidato foi 14.28 o que me deixa extra nervosa porque eu candidatei com media de 15,2.
Devo me inscrever para a 2°fase ?
 
  • Like
Reactions: Joana Vale