(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Olá a todos! Antes de mais, eu sou a Teresa, tenho 19 anos, sou de Lisboa e, como já devem ter adivinhado, estou a tirar dois cursos: Medicina e Ciências da Nutrição, ambos na NOVA Medical School. Muitas pessoas dizem que sou maluca por estar a fazer dois cursos ao mesmo tempo e uma das perguntas que mais me fazem é: as pessoas mal têm tempo e capacidade para fazer Medicina, quanto mais fazer ainda Ciências da Nutrição? Quero contar-vos o meu percurso que deu tantas voltas e que é uma prova de que se acreditarem, tudo é possível!

Bem, vamos recuar no tempo. Desde que comecei a falar, sempre quis ser cientista e simplesmente não queria mesmo nada ser médica. Não gostava nada do ambiente hospitalar e o simples cheiro do mesmo era algo que até me enjoava quando era pequena. O que eu queria mesmo era um microscópio e fazer experiências.

Bem, desde o 2 ciclo que participava em atividades da Ciência Viva no Verão e foi aí que percebi que a área da biologia e das ciências da vida poderia ser algo muito interessante. Passei o 9o ano a dizer que queria mesmo seguir biologia.

Ao longo do secundário, também fui participando em atividades do verão na Universidade de Lisboa e a partir do 11o ano já nem sabia se o que realmente queria era Biologia, Medicina Veterinária ou Ciências Farmacêuticas. Também tive sempre as Engenharias Biomédica ou Biológica na cabeça, porque tinham a componente laboratorial que eu tanto idolatrava. A questão é que eu gostava de várias áreas e não me conseguia decidir.

Entretanto no 12o ano sofri uma lesão, tive de fazer fisioterapia e também percebi que tinha também um especial interesse na área. Portanto, como podem ver, a minha cabeça estava uma pequena grande confusão.

Penso que só acordei para o mundo da Medicina num dia de apresentação de faculdades na minha escola. Foi por acaso até. Como nos tinham dividido por salas e a Fisioterapia e as Ciências Farmacêuticas eram na sala da saúde, decidi assistir. Posso dizer que fiquei absolutamente rendida à apresentação que fizeram de Medicina na NOVA Medical School (a minha faculdade atual). Pelas inúmeras atividades que realizavam, pela investigação que se poderia fazer, pelo currículo do curso… não sei porquê, havia qualquer coisa que me estava a chamar para esse curso e para essa faculdade em específico.

Claro que, nos meses seguintes, continuava com as minhas dúvidas, será que deveria ir para Medicina? Penso que o que realmente me fez escolher Medicina era o facto de conseguir conciliar um pouco das várias áreas que gostava, e isso fazia-me muito feliz!

Entrei em Medicina na NOVA Medical School em setembro de 2019. Percebi logo na primeira semana porque é que a anatomia era considerada um bicho de sete cabeças! Eu gostava mesmo era de perceber e interligar assuntos, decorar era algo que nunca tinha gostado. Só para verem a minha loucura, cheguei a ir várias vezes ao Instituto Superior Técnico assistir a aulas de álgebra e cálculo para “fugir” ao decoranço que anatomia se tinha tornado.

Entretanto concluí aquele 1o semestre que me tinha posto à prova tantas vezes. Uma das Unidades Curriculares do 2o semestre do 1o ano de Medicina na NMS é Nutrição e Metabolismo (onde se aprende e aprofunda a associação entre a bioquímica e a nutrição). Foi para mim uma lufada de ar fresco, porque gostava mesmo muito daquilo (não era só decorar, era mesmo entender os esquemas e a importância de alguns mecanismos para a nossa saúde) e interessava-me muito pelo tema. Cada vez que aprendia algo de novo sobre uma vitamina ou recomendações alimentares, já não me calava. Fascinava-me.

Como poderão estar a pensar, nessa altura continuava ainda a remoer na cabeça os outros cursos que tinha um grande fascínio. Pensava várias vezes se poderia fazer um segundo curso ao mesmo tempo. Li uns testemunhos de estudantes de outras faculdades que estavam a tirar também 2 cursos e pensei “why not?”. Repeti todo o processo do ano anterior e pensava muito que seria o último ano em que poderia usar os meus exames do 11o ano. Investiguei ao máximo todas as opções possíveis, nessa altura para além dos cursos que queria antes, comecei a interessar-me muito por Gestão e Relações internacionais (já não bastava a grande lista que tinha). Isto porque no 2o semestre passei a maior parte dos meus fins de semana em Model United Nations em versão online e queria muito ir trabalhar para as Nações Unidas, já que gostava de defender as minhas próprias ideias e de poder partilhá-las com pessoas de todo o mundo. Mas depois comparava os horários dos outros cursos com o de Medicina e constatava que seria incompatível estar sempre em transportes de um lado para o outro para assistir a aulas.

Foi aí que comecei a pensar em Ciências da Nutrição na NMS. Era uma área que eu tinha interesse (por causa da UC de Nutrição e Metabolismo) e o problema dos transportes estava resolvido porque as aulas seriam todas no mesmo edifício. Para além disso, como o curso tinha muitas UCs em comum com Medicina, teria bastantes equivalências. E foi assim que me candidatei a LCN.

Soube que tinha entrado em LCN sensivelmente 1 ano depois de ter entrado em Medicina. Fiz o semestre mais temido a Medicina na minha faculdade, juntamente com LCN, voluntariado e ser monitora de Anatomia de várias turmas. Às vezes precisava de estudar Medicina, mas tinha de ir à faculdade para ter uma aula prática de LCN. Nas férias de Natal abdiquei de muitas horas de estudo para os exames de Medicina para fazer relatórios e monografias. Troquei as minhas 3 semanas de férias de Medicina para fazer os exames de LCN e acabei por ter apenas 2 dias de férias até começar novamente as aulas. Consegui, com bastante dedicação, passar a tudo com os resultados que pretendia.

Vou ser sincera, este último semestre pôs-me à prova tantas vezes, mas estava mesmo feliz porque conseguia fazer tudo o que gostava. Às vezes preciso de abdicar de, por exemplo, um almoço ou um lanche com amigos para estudar a matéria que falta ou fazer um trabalho, mas sei que faço isto por gosto e não porque fui obrigada. Penso que estar em dois cursos é apenas uma questão de organização, ter muita força de vontade e determinação.

Gosto muito de estar em LCN, há muita entreajuda entre colegas e adoro aprender mais sobre a alimentação e nutrição humana! Mas também adoro Medicina e todos os caminhos que me oferece! Quero ser médica, mas também quero saber mais sobre o mundo da Nutrição. Ambos os cursos me abrem tantas portas a novas oportunidades!

São 2 cursos que se complementam muito bem e sinto que é assim que eu quero a minha experiência universitária. Porque um médico tem de saber um pouco de tudo, não é verdade? E nada me garante que quando acabar a medicina, não me meta em mais 2, 5 ou 10 cursos. Não quero ser só mais uma médica, quero fazer a diferença. Nada nem ninguém me tira esta vontade de aprender mais e espero poder inspirar muitas mais pessoas a fazer o mesmo! Nada é impossível!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.