(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Classificado em 46º no ranking dos 100 melhores Mestrados da Europa Ocidental em 2018/2019, na sua categoria, o Mestrado em Gestão de Hotelaria e Turismo da Iscte Business School é lecionado em inglês e apresenta-se como uma opção de prosseguimento de estudos para todos os Licenciados em Administração, Turismo ou áreas relacionadas.

Ao frequentares este Mestrado terás também a possibilidade de conhecer e estudar em outras instituições no estrangeiro: o 1º ano decorre no Iscte – Instituto Universitário de Lisboa; por outro lado, no 2º ano podes continuar na mesma numa instituição estrangeira à escolha entre várias parcerias europeias ou na Rosen College of Hospitality Management, Universidade da Flórida Central, Orlando (EUA).

Desta vez, contámos com a colaboração do Tiago Correia, que se encontra a finalizar o 1º ano deste Mestrado, para nos dar o seu feedback sobre o curso:

O que te levou a escolher este Mestrado? E porquê no Iscte – Instituto Universitário de Lisboa?

T.C.: Na altura em que tinha de escolher o que seguiria assim que acabasse a Licenciatura sentia que tinha assimilado uma grande diversidade de conteúdos e experiências abrangentes a diversos ramos da Gestão, porém necessitava de me especializar em algum.

O Setor da Hotelaria e Turismo desde cedo me despertou interesse pela variedade de áreas que abrange e por ter uma interação constante com o cliente sempre com o objetivo de o servir da melhor forma possível. Para além disso, é uma área na qual já tenho alguma experiência que considero bastante positiva. Deste modo, decidi que esta seria a área na qual me iria especializar para tentar melhorar este setor tão importante para nós, portugueses.

Escolhi o Iscte – Instituto Universitário de Lisboa para continuar o meu percurso académico pois a avaliação que faço da Licenciatura é bastante boa. Considero a Iscte Business School uma escola com bastante notoriedade que se destaca pelo rigor, excelência e pela grande proximidade que existe com o mercado de trabalho através de iniciativas como o IBS Carrer Forum. Para além disso a relação entre alunos e professores é de proximidade e entreajuda, mas simultaneamente profissional, facilitando assim a partilha de ideias e experiências. Por fim, o ambiente académico que existe é indiscritível e complementa muito bem o lado mais formativo.

O que mais te surpreendeu?

T.C: Quando escolhi o    Mestrado já tinha falado com algumas pessoas que frequentavam o mesmo, por isso já sabia minimamente o que esperar. Porém o que me mais me surpreendeu foi a variedade de nacionalidades e pensamentos que existe dentro da pequena turma. Esta situação faz com que todos nós consigamos ouvir ideias e opiniões completamente diferentes das nossas e conhecer novas realidades estimulando o debate e o crescimento pessoal.

Outro fator que me surpreendeu no Mestrado foi a forma como os conteúdos teóricos são aplicados na prática. Enquanto alunos, somos desafiados a conciliar o contacto directo com hotéis e agências de viagens com a análise artigos científicos, realização de case studies e projectos de grupo. Não esperava enriquecer tanto com os artigos científicos e case studies, porém, estes deram-me uma visão do Turismo diferente daquela que tinha.

Por fim, surpreendeu-me a possibilidade de começarmos a definir o nosso percurso no 2º semestre do 1º ano pois este é realizado apenas através de Unidades Curriculares Optativas, nas quais está inserido o Estágio. Apesar de não termos muitas opções de escolha específicas na nossa área pois somos poucos alunos, é-nos dada a possibilidade de escolher Unidades Curriculares de outras áreas.

Sentes que é um curso que te deixa bem preparado para o mundo laboral?

T.C: Na área da Hotelaria há sempre uma grande necessidade de ter experiência e contactar com o mercado de trabalho para perceber como este funciona sendo, na minha opinião, a melhor estratégia de aprendizagem o método: aprender fazendo.

Desta forma, é-nos dada a possibilidade de realizar um estágio no qual temos contacto com o mundo laboral. Contundo, este estágio é apenas em 1 área da hotelaria, o meu por exemplo é em Recursos Humanos, ficando assim em falta um pouco de experiência nas outras áreas. Para além disso, senti que as Unidades Curriculares deixam-nos mais preparados para a parte organizacional e de gestão na Hotelaria e para o Turismo.

Que conselhos darias a um aluno que esteja a pensar candidatar-se a este Mestrado?

T.C: Primeiramente, é muito importante estar aberto a conhecer novas realidades, ambientes, culturas e formas de pensar diferentes. Depois, é também essencial estar preparado para começar a olhar para a Hotelaria e para o Turismo de uma forma diferente pois a análise de artigos científicos e case studies dá-nos uma visão diferente daquela a que estamos habituados a ver no dia-a-dia. Para além disso, é imprescindível traçar o caminho desde cedo, começar a realizar networking, contactar com as empresas, adaptar o plano curricular àquilo que quer seguir no futuro. Por fim, é fundamental não ter medo de arriscar e inovar.

Se és licenciado/a nas áreas de Gestão de Turismo/ Hotelaria ou Gestão, segue as dicas do Tiago e não tenhas medo de arriscar. Consulta o Plano de Estudos e formaliza a tua candidatura para esta nova etapa do teu percurso académico e profissional. As candidaturas estão abertas até ao dia 6 de Julho.

Atreve-te a ir mais além e não deixes que os teus sonhos sejam apenas sonhos: torna-os realidade!

Artigo elaborado em parceria com a Iscte Business School