(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Seguramente já se deu conta que é um ser Único, com características muito peculiares e irrepetíveis. Traz dentro de si todos os fatores de sucesso e os recursos para ultrapassarem os obstáculos, alcançar o  bem-estar emocional e desenvolver uma vida com sucesso.

Não seria maravilhoso se pudesse vislumbrar todo esse potencial desde cedo e ser um facilitador ativo da sua realização pessoal, através de escolhas e decisões assertivas?

Estando nós inseridos num específico meio social e cultural, temos tendência a seguir os paradigmas definidos pela prática comum, quer da educação familiar quer dos sistemas de educação rígidos que acabam por nos “espartilhar”, bloqueando as nossas capacidades e criatividade únicas.



A maior parte das vezes, avaliamos e decidimos o nosso futuro de acordo com os parâmetros estabelecidos há centenas de anos, até seguindo alguns fenómenos de moda, opiniões de familiares ou amigos em detrimento das capacidades e vontade individual.

É, por isso, importante conhecer desde cedo o potencial inato e ajudar, assim, a proporcionar espaços paralelos e alternativos de liberdade, amor e criatividade para que se possa sentir segurança em exprimir e desenvolver as qualidades e características que o diferenciam de todos os outros. Isto consegue se por norma com as disciplinas extrra curriculares onde a capacidade de expressão é mais alargada.

Mas como fazê-lo?

Todo esse potencial está inscrito no seu ADN, desde o momento da conceção até ao final das nossas vidas. 

Felizmente a consciência sobre a educacao no século 21 está a mudar e todos estão mais atentos às preferências dos mais jovens, mas é importante estar sintonizado(a) com as características mais profundas do seu ser, escolher os ambientes e as ferramentas que favorecem o desenvolvimento do seu potencial único.

Assim, estudar deixará de ser somente uma obrigação, para ser um motivo de curiosidade e entusiasmo e alimentando à  criatividade.

É importante uma reflexão de uma forma mais precisa, sobre o que fazer e que caminhos adotar para uma melhor sincronização das necessidades, desejos, potencial e as suas características únicas.

É um facto que todos trazemos traços de herança genética que se propagam de geração em geração. Mas sabia que a neurociência tem vindo a demonstrar que, ainda assim, cada indivíduo ativa ou desativa certos genes o que o torna único entre os colegas? Isso faz com que cada jovem tenha uma perceção única da realidade e que a interprete e sinta de uma forma particular. É bom reconhecer e manter esta singularidade.

Visão

Cada Ser humano, independentemente da sua cultura, condição social ou credo, deve ter acesso a uma educação baseada nas suas capacidades individuais, coeficiente de inteligência científico e emocional desde muito cedo, de forma a proporcionar-lhe as escolhas pessoais e profissionais mais adequadas e ter, assim, uma melhor experiência de vida.

Pontos de reflexão:

  • reconhecimento das capacidades inatas, propósito e missão de vida
  • tomada de decisão assertiva e inteligente
  • desenvolvimento de resiliência em momentos difíceis
  • escolhas adequadas em todos os níveis de escolha e desempenho, com resultados de qualidade
  • quais as suas características internas e como utilizá-las da melhor maneira
  • auto valor, força e autoestima
  • índices de diferenciação como fatores de sucesso.

Possiveis conclusões:

  • qual a missão, interna ou externa, pessoal ou social, características e escolhas

Respeitar o potencial inato tem outros efeitos colaterais, igualmente importantes, como por exemplo:

  • O fortalecimento sempre crescente da auto estima, pois quem sabe bem de si e do seu valor crescerá sempre neste sentido.
  • Entender as diferenças, aceitando que quem é ensinado da mesma maneira podem ter mostras internas diferentes e, por isso, resultados, comportamentos e tendências diferentes.
  • Ajuda na autoafirmação: determinação e a segurança que todos devemos ter.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.