(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

As instituições do Ensino Superior vão poder atribuir as vagas destinadas a alunos internacionais a candidatos nacionais. A informação foi avançada pela ministra da Presidência, que explicou que a medida foi tomada devido ao elevado número de candidatos do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior.

Mariana Vieira da Silva explicou que para além desta razão, também a expectável diminuição de estudantes internacionais foi uma das razões pelas quais o Governo decidiu abrir esta exceção.



“Tivemos no concurso nacional de acesso o maior número de candidatos desde há muitos anos e, por isso, o Governo resolveu que as instituições de ensino superior podem usar essas vagas para o concurso geral de acesso”, disse, durante a conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros, esta quinta-feira.

Recorde-se que o número de candidatos ao Ensino Superior foi, na primeira fase de inscrições, o número mais elevado nos últimos 25 anos.

“Candidataram-se 62.675 estudantes à 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao ensino superior público no ano letivo de 2020-2021, representando um aumento de 11.384 candidatos face a 2019 (quando se tinham candidatado 51.291 estudantes até igual momento, tendo sido consideradas 51.036 candidaturas como válidas)”, lia-se num comunicado emitido esta segunda-feira pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, tutelado por Manuel Heitor.

Teremos de esperar agora por informações concretas de como, e em que altura do concurso de acesso, é que os alunos terão acesso a estas vagas.