(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

No dia em que o Governo anunciou que os alunos portugueses vão ficar de férias até 5 de fevereiro, enquanto o resto do país se mantém em confinamento geral, o Ministério da Educação deu indicações às escolas para se prepararem para o ensino online, escrevem o Correio da Manhã e o Jornal de Notícias.

No email enviado às escolas, através da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, constam “instruções e recomendações”, incluindo o pedido para que os estabelecimentos de ensino estejam preparados para, em caso de necessidade, arrancar uma vez mais com o ensino à distância. “Tendo as escolas, na preparação do ano letivo, previsto o funcionamento em regime não presencial, este deve estar preparado para poder ser ativado”, lê-se no documento, onde se informa ainda que as escolas voltam a ter acesso a recursos disponibilizados no ano letivo anterior, de maneira a implementar as aulas online.



As aulas online podem regressar a 8 de fevereiro, até porque os números da Covid-19 em Portugal continuam a atingir novos máximos, e podem apanhar cerca de 200 mil alunos da Ação Social Escolar ainda sem computadores, acrescenta o CM — até agora, o Governo apenas entregou 100 mil computadores aos cerca de 300 mil estudantes com Ação Social Escolar.

O Ministério da Educação esclarece ao JN que o email enviado na quinta-feira às escolas incluía “várias informações redundantes, mas necessárias para que toda a organização escolar ocorra devidamente”, e que tal não indica uma decisão do Governo.