(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A Fundação Gulbenkian tem um importante acervo editorial composto por clássicos da cultural mundial e obras marcantes da cultura portuguesa. E decidiu torná-lo acessível ao público, uma nova política da fundação que a partir de agora dará primazia ao formato digital, com acesso gratuito e universal, sempre que seja possível, tendo em conta os direitos de autor.

Para já, são 52 os títulos da Coleção de Textos Clássicos que se encontram acessíveis à distância de um registo gratuito no site oficial da Gulbenkian. Entre eles A República, de Platão; Utopia, de Thomas More; A Cidade de Deus, de Santo Agostinho; O Mensageiro das Estrelas, de Galileu; Medeia, de Eurípedes; ou textos teóricos de Edgar Allan Poe.



Em processo de selecção e tratamento digital estão as Coleções – Cultura Portuguesa e Manuais Universitários, textos que serão colocados à disposição dos leitores de forma faseada, até ao final do próximo ano. Além de ensaios, actas de colóquios, relatórios, textos relativos a programas e projectos da Gulbenkian e edições da Delegação da Fundação Gulbenkian em Paris.

Segundo Isabel Mota, presidente da Fundação, esta nova orientação “resulta de um compromisso com a sociedade e persegue o mesmo propósito de sempre: tornar a leitura acessível a todos”.