Há 33 cursos com emprego garantido, segundo a atualização do Portal Infocursos

Foto de ElizaLIV Depositphotos.com

Segundo o Observador, o número total (33) é inferior ao de 2020 e de 2019, quando foram 68 e 63 cursos, respetivamente. Os números estão disponíveis no portal Infocursos, desde a meia-noite deste sábado, numa altura em que o anúncio de vagas disponíveis para o concurso de acesso ao Superior pode ser feito a qualquer momento.

Nos 33 cursos sem desempregados entre os que se formaram no ano letivo 2019/2020, Enfermagem Engenharia estão bem representados, havendo seis cursos desta última área de estudos que garantem emprego a todos os alunos formados.

Depois de enfermagem e engenharias, Gestão e Arquitetura apresentam-se, cada um deles, com dois cursos sem desemprego. De resto, e como habitualmente, não há padrão nos demais cursos: estão representados ofertas tão distintas como Ciências AeronáuticasDançaFarmáciaMatemáticaQuímica ou Terapia da Fala.

Ausentes da lista estão os cursos de Medicina. Só o curso de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, da Universidade do Porto, que tem habitualmente médias mais altas de entrada, aparece com desemprego zero.

Ainda assim, isto não significa que  os cursos de Medicina passaram a ser recordistas de desemprego: dos sete cursos de Medicina do país saíram 6.591 alunos diplomados e, destes, só 23 estavam inscritos como desempregados (0,34%).

No entanto, deixamos o alerta que os valores apresentados sobre a taxa de desemprego de cada um dos cursos olham apenas para a percentagem de recém-diplomados registados como desempregados no IEFP — Instituto do Emprego e Formação Profissional. Ou seja, apesar de estarem a trabalhar podiam não estar a fazê-lo na área em que se formaram.

Jornal de Notícias acrescenta que, com menos de 1% de desempregados, surgem mais 64 licenciaturas e mestrados integrados: Enfermagem (16), Medicina (os 6 cursos), Engenharia Informática (Universidade de Lisboa), Música (Universidade de Aveiro), Biologia Celular e Molecular (Universidade Nova de Lisboa), Educação Básica (Politécnico de Setúbal), Direito (Universidade Católica) ou Línguas Aplicadas (Universidade Aberta).

Pelo contrário, Turismo (20 cursos), Ciências da Comunicação (12 cursos) ou Arquitetura (5 cursos) são dos cursos com mais desempregados.