Os judocas da Universidade do Minho demonstraram estar solidários com os seus colegas mais necessitados e “despiram-se” de preconceitos, posando para um calendário que visa angariar verbas para o Fundo Social de Emergência.

A apresentação está marcada para amanhã, dia 11 de fevereiro, pelas 16h00 no Pavilhão Desportivo da UMinho em Braga.

Ricardo Macedo - Mestrado em Marketing e Estratégia

Ricardo Macedo – Mestrado em Marketing e Estratégia

Para Ricardo Macedo, aluno do Mestrado em Marketing e Estratégia, e que dá a cara e o corpo pelo mês de dezembro: “O despertar de consciências toma proporções cada vez maiores. Existem muitas causas que necessitam de ajuda e da cooperação entre pessoas, empresas e outros movimentos associativos. Poder fazer a diferença foi a minha principal motivação. Saber que contribuo para a construção da educação dos elementos que, como eu, serão o futuro da sociedade contemporânea.”

Marta Coelho - Mestre em Arquitectura

Marta Coelho – Mestre em Arquitectura

A elaboração gráfica deste projeto ficou a cargo do Ricardo e da Marta Coelho, arquiteta que também é uma das modelos do calendário. Revela que o mais difícil não foi tirar a roupa, mas sim aguentar o frio: “O Judo deu-me a confiança para tirar a roupa – há dois anos atrás não seria capaz. O judoca aprende imenso sobre si e os outros, a respeitar e a reconhecer; existe uma grande noção de equipa e entreajuda, porque apesar de ser um desporto individual é impossível treinar sozinho. Rapidamente me senti em casa, fiz boas amizades, e a vontade de treinar cresceu com isso – nunca senti que tinha de ir aos treinos por algum tipo de obrigação com alguém, gosto genuinamente de treinar e custa-me quando alguma obrigação me impede de o fazer. Também há um grande fortalecimento físico e mental, que nascem da repetição com que cada técnica é executada, na busca pela execução perfeita – o momento em que o esforço é mínimo e a eficiência é máxima.”

Filipe Oliveira - Engª Informática

Filipe Oliveira – Engª Informática

Esta causa solidária conta com a participação de dez rapazes e duas raparigas que constituem a equipa de judo. As fotografias foram tiradas pelo mestre Nuno Gonçalves e poderá ser adquirido por cinco euros nas sedes da AAUM, reprografias do campi, gabinetes de apoio ao aluno e pavilhões desportivos.

O Fundo Social de Emergência é uma prestação pecuniária atribuída a fundo perdido, isenta de quaisquer taxas, que se destina a colmatar situações pontuais decorrentes de contingências ou dificuldades económico-sociais de estudantes do ensino superior, e que não possam ser convenientemente resolvidas no âmbito dos apoios previstos pelo sistema de Ação Social.

No ano letivo passado foram aprovadas 51 das 86 candidaturas recebidas, num apoio total superior a 56 mil euros. No corrente ano letivo foram já aprovadas 5 de 14 candidaturas apresentadas, num apoio superior a 3 mil euros.