Um inquérito sobre a Europa realizado a 635 estudantes da Universidade do Porto (U.Porto) entre 07 a 28 de fevereiro indica que a maioria dos inquiridos (63%) dizem “identificar-se” ou “identificar-se muito” com o projeto da UE. Há 6% dos inquiridos que responderam “não se identificar com o projeto”.

A crise dos refugiados que a UE enfrenta atualmente é o principal desafio identificado pelos universitários inquiridos (18%), seguido das alterações climáticas e sustentabilidade (16%) e da crise económica (15%).

A “integração europeia versus nacionalismos” (13%), o “‘Brexit’ e a saída de UE” (12%) e a “ameaça à paz e a estabilidade” (11%) são outros dos desafios em que os estudantes mais votaram.



Na questão sobre o conhecimento de programas europeus destinados à juventude, 32% dos universitários inquiridos destacam o programa Erasmus +, seguindo-se o Parlamento Europeu dos Jovens (19%), estágio nas instituições da UE (14%) e os ‘interrails’ (14%).

Este recente inquérito sobre a Europa à comunidade académica da Universidade do Porto surge no âmbito de uma iniciativa pioneira da Federação Académica do Porto (FAP), que convidou os vários candidatos portugueses às eleições europeias, marcadas para 26 de maio, a estarem em debate com a FAP nas noites da Queima das Fitas do Porto, que arranca no domingo.

PSD, PAN, Aliança, Iniciativa Liberal, Livre e Nós Cidadãos são os seis partidos candidatos às eleições europeias que já confirmaram querer participar em debates na Queima das Fitas do Porto, avançou hoje fonte da FAP.

A FAP acredita que o futuro da Europa passa pelo fortalecimento da cooperação entre os jovens europeus na procura de soluções para problemas comuns, bem como por um “aumento de investimento na educação e preparação de cidadãos mais jovens para o ingresso no mercado de trabalho”.

“Reformular as salas de aula e os métodos de ensino e promover na inovação pedagógica”, criar uma “rede europeia de fundos europeus para as investigações científicas que estão em curso para que os investimentos não sejam duplicados em diferentes estados-membros”, desenvolver um “sistema de pensões” que preveja e valide os anos em que os trabalhadores exerceram trabalho em vários países ou promover a habitação para jovens com formas de fiscalização são algumas das propostas da FAP para o futuro na UE.

Os candidatos às eleições europeias vão estar numa “conversa informal com o presidente da FAP, João Pedro Videira e/ou o presidente do Conselho Nacional da Juventude, Hugo Carvalho, a partir das 22:30 de domingo, num espaço criado para receber os candidatos ao lado do palco principal do recinto da Queima das Fitas.