MBA da Nova e Católica é o 36º melhor do mundo e 13º na Europa

Sessão com Pedro Oliveira, CEO of BP Portugal | Fotografia © Facebook The Lisbon MBA

O The Lisbon MBA Internacional, promovido pela Universidade Nova de Lisboa e Universidade Católica Portuguesa, subiu 16 posições no ranking do Financial Times. É o único português no Top 100, figurando agora como 36º melhor do mundo e o 13º melhor da Europa.

Esta é uma iniciativa conjunta de duas universidades portuguesas, mais especificamente da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa ou Nova School of Business and Economics e da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica ou Católica-Lisbon School of Business and Economics em parceria com o norte-americano MIT Sloan School of Management.

O MBA destas instituições portuguesas ocupa o terceiro lugar no ranking dos programas no que diz respeito ao retorno em relação do investimento feito, lista que liderava no ano passado, tendo sido ultrapassado por uma universidade sul-africana e outra chinesa. Caso tenhas interesse, as propinas deste programa têm o valor de 35 mil euros, o que inclui uma viagem a Boston, nos EUA.

Segundo os dados divulgados, o ordenado médio de quem fez este MBA é de 105 296 euros anuais e, em média, o salário quase duplica depois de obterem aquele título (aumento de 97%).

Este ranking do Financial Times, tem como critérios os salários dos antigos alunos nos três anos após o fim do programa, a percentagem de estudantes que arranjam emprego nos três meses após o fim do MBA e a percentagem de mulheres no corpo docente, entre outros.

A lista é liderada novamente pela universidade norte-americana Harvard Business School, seguida pela London Business School e pela Universidade of Pennsylvania: Wharton. Nas dez primeiras posições encontram-se sete instituições norte-americanas, uma inglesa, uma espanhola e uma parceria entre França e Singapura.

O The Lisbon MBA Internacional tem figurado entre os cem melhores e tem subido no ranking nos últimos 3 anos: em 2013 estava em 61.º e no ano passado passou para 52.º lugar.