Como muitos de vós, Medicina foi sempre aquilo que quis. Desde muito cedo que me lembro de não querer outra coisa. Queria estudar e entender toda a nossa anatomia, a fisiologia e tudo o que se processava dentro de nós.

Como muitos de vós, iniciei o meu secundário com a ideia de prosseguir Medicina e acabei o secundário a verificar que a minha média não seria suficiente para tal. Os exames nacionais baixaram-me a média. Terminei com 15,0 valores.



Foi então altura de começar a pensar no que queria fazer – ingressar num curso diferente do que queria ou fazer melhorias durante 1 ano. Acabei por ponderar na decisão e optar por ingressar num curso que, quiçá, viesse a gostar no futuro.

Nunca pondo em dúvida o meu gosto pela saúde, e após muita pesquisa e dor de cabeça, queria optar por um curso que me desse acesso a todas as áreas de saúde, desde pediatria, obstetrícia, psiquiatria, entre outros. Enfermagem seria então o curso que escolheria.

O primeiro ano de Enfermagem não foi fácil. A adaptação ao método de ensino demorou algum tempo, assim como a adaptação ao estudo e, também, a adaptação à cidade e ao estar longe da família. O início do primeiro Ensino Clínico foi também um choque para mim, a primeira vez que contactei com a realidade hospitalar.

Desesperei e quis desistir.

Passado o choque inicial, já ia mais preparada para o segundo ano de Enfermagem, assim como para todos os outros que viriam a seguir.

Foi, sem dúvida, um caminho difícil e com muitos obstáculos, em que vivi situações menos boas e com algum desespero pelo meio. Hoje, com o diploma na mão, digo de peito cheio que tenho um orgulho enorme nesta profissão. Foi Enfermagem que me lapidou enquanto pessoa que sou hoje, foi ela que me deu todos os valores que possuo e foi ela que me deu todo este conhecimento e panóplia de experiências que hoje detenho. Foi aí que compreendi que tudo tem o seu tempo.

Se desisti de Medicina? Não. Se persisti com a ideia de ingressar em Medicina? Sempre! Concorri este ano e, finalmente, ingressei neste tão aclamado curso! Foi nessa altura que compreendi que tudo tem o seu tempo e tudo tem o seu porquê. Enfermagem foi o curso que me construiu e preparou para a pessoa que sou hoje, sentindo-me mais preparada física e psicologicamente para esta nova etapa.

Foi um caminho longo, mas se valeu a pena? Sem dúvida! E desistir? Nunca!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.