Movimentos Estudantis LGBTI+ que promovem a inclusão e lutam contra preconceitos nas escolas e universidades

Foto de Stavrialena Gontzou / Unsplash

Hoje seria realizada a Marcha do Orgulho LGBTI+ em Lisboa, que acabou por ser cancelada pela comissão organizadora, depois de a DGS recomendar o adiamento para nova data. Aproveitamos a data para, de forma simbólica, darmos destaque aos movimentos estudantis que desenvolvem trabalho nesta área em escolas e universidades.

Mas comecemos por dar algum contexto. A história moderna dos movimentos LGBTI+ tiveram o seu boom na Rebelião de Stonewall, em Nova York, no fim da década de 1960, após, no mínimo, duas décadas de um sistema jurídico anti-homossexuais. A rebelião aconteceu quando um grupo de pessoas LGBTIs impediu a entrada de polícias no bar Stonewall Inn, e isso foi o início de um grande acontecimento político que se mantém até hoje.

Um ano após a Rebelião de Stonewall, as pessoas LGBTIs voltaram às ruas para comemorar o acontecimento. Essa volta às ruas é considerada a primeira Marcha do Orgulho LGBTI+, que, à época, levou o nome de Marcha da Libertação Gay. Com o tempo, as marchas foram repetindo-se em novos lugares, e hoje são realizadas em praticamente todo o mundo.

O evento tem como objetivos reforçar a importância da luta já realizada e reforçar a igualdade de direitos. A Marcha do Orgulho LGBTI+ procura o fim da discriminação e a punição para os que ainda a comentem.  

São vários os movimentos e iniciativas LGBTI+ que, além de estarem presentes nesta Marcha, levam esta luta diariamente para escolas e universidades por todo o país. Fica aqui o destaque das que conhecemos e nos deram a conhecer numa sondagem na nossa página de Instagram.

rede ex aequo

A rede ex aequo é uma associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexo e apoiantes com idades entre os 16 e os 30 anos em Portugal. Tem como objectivo trabalhar no apoio à juventude LGBTI e na informação social relativamente às questões da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais.

A associação tem núcleos de jovens LGBTI e apoiantes ao longo do país, que organizam atividades de convívio, partilha de experiências e de conhecimento. Têm também um núcleo nacional de jovens trans que organiza atividades específicas para a juventude trans, não-binária e em questionamento identitário. Em ambiente escolar, têm o Projeto Educação LGBTI, onde vão a escolas realizar sessões de debate, esclarecimento e sensibilização. Organizam ainda eventos anuais como o Acampamento de Verão de Jovens LGBTI e o Encontro Nacional de Jovens Trans.

Atualmente estão a organizar a 16ª escola ex aequo que tem a inscrições a decorrer:

ADD — Aliança da Diversidade

ADD – Aliança da Diversidade – é um grupo de estudantes (e professoras/es apoiantes) que querem tornar a escola mais segura para tod@s, quer sejam gays, heterossexuais, lésbicas, bissexuais, trans ou intersexo, ou em questionamento. É um projecto da Associação ILGA Portugal – Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo. 

O principal objetivo da organização é a integração social da população lésbica, gay, bissexual, trans e intersexo (LGBTI) e das suas famílias em Portugal. “Queremos garantir a melhoria da sua qualidade de vida, através da luta contra a discriminação em função da orientação sexual, da identidade de género e características sexuais, sempre promovendo a cidadania, os Direitos Humanos e a igualdade de género.”

QueerIST – Instituto Superior Técnico – Universidade de Lisboa

O QueerIST é um núcleo queer (LGBTI+) de estudantes do Instituto Superior Técnico (IST) que visa incluir, informar e dialogar, nascido em 2017. Pretendem estimular a discussão e divulgar informação sobre a temática queer, promovendo a inclusão de membros desta comunidade, com o intuito de diminuir a discriminação em função da orientação sexual ou identidade de género.

Realizam várias atividades, abertas a toda a gente, desde as mais educativas (como tertúlias e conversas) até às mais recreativas (como churrascos e piqueniques), passando por sessões de cinema, tardes de convívio e mais. Mantêm ainda uma biblioteca com obras queer e relacionadas de forma a facilitar o acesso a uma cultura mais inclusiva; além de ainda atuarem em outras iniciativas fora da faculdade, como por exemplo participando na Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa.

Letras Fora do Armário (L.F.A) – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

O Núcleo LGBTQ+ da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) tem o objetivo de fazer refletir os alunos da FLUL sobre temas que estão “dentro do armário”, como LGBTQ, feministas e liberdade sexual.

No entanto, reforçam que “embora o L.F.A tenha sido criado para dar visibilidade a estes temas, as nossas preocupações abrangem também questões dos direitos humanos em geral, dos animais e preservação da Natureza.”

NuPride – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

O NuPride é o núcleo da Associação dos Estudantes da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa que tem como intuito promover a discussão, aceitação e divulgação de informação sobre a temática LGBTQ+.

Assumem que “temos como principal objetivo ajudar a eliminar a invisibilidade e isolamento da comunidade LGBTQ+ na nossa faculdade”.

OutCiências – Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Este núcleo da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa também luta por uma faculdade mais inclusiva e organiza iniciativas várias nesse sentido. 

Recentemente começaram uma série de histórias e testemunhos sobre o que significa ser parte da comunidade LGBTQIA+ que podes acompanhar na página do Instagram. 

MAIS – Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

O MAIS é o Movimento de Aceitação e Inclusão Sexual dos Estudantes da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL).

Tal como os outros núcleos, organizam iniciativas na faculdade e divulgam informações nas suas redes sociais sobre a temática.

Juntamente com todos os restantes movimentos estudantis LGBTI+ que te apresentamos, decidiram criar a Rede de Ação Queer Universitária de Lisboa (RAQUL):

Nova SBE LGBTQI+ Club 

É o mais recente de todos, lançado nas redes sociais no fim de janeiro deste ano. O Nova SBE LGBTQI+ Club pertence à Nova School of Business and Economics, que faz parte da Universidade de Lisboa.

Este núcleo quer despertar a consciência sobre os tópicos relacionados com a temática LGBTQI+ e ajudar a tornar a Nova SBE mais colorida, diversa e inclusiva do que já é, segundo os próprios.

Podes acompanhar as atividades dos respectivos movimentos nas suas redes sociais. Se conheceres outros movimentos estudantes LGBTI+ que queiras que adicionemos à lista deixa nos comentários.