(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A Nova School of Business and Economics disponibiliza uma biblioteca aberta com acesso a trabalhos científicos e de investigação que poderá servir para diminuir o fosso entre a produção de conhecimento e a sua aplicação prática.

A plataforma Nova SBE Role to Play, que conta já com mais de 200 conteúdos totalmente acessíveis ao público em geral, deverá continuar a crescer graças à participação de mais de 350 colaboradores.

Ali partilham-se estudos, projectos de investigação, relatórios, artigos, webinares e histórias de impacto. São trabalhos de alunos e ex-alunos, professores e investigadores, empreendedores e outros membros ligados à comunidade da Nova SBE. 



“As universidades vivem, por vezes, muito centradas em si próprias e na produção de conhecimento, mas que circula de forma restrita. Esta plataforma visa, por um lado abrir o conhecimento ao mundo, partilhando milhares de conteúdos de investigação produzidos pela nossa comunidade, mas também contribuir para a dinamização deste mesmo conhecimento através da partilha de inúmeras iniciativas”, disse Daniel Traça, director da Nova SBE, em declarações à Lusa.

A par da escola de gestão portuguesa, na plataforma online estão agregados conteúdos científicos e académicos de mais de 30 escolas de todo o mundo que se encontram envolvidas em projectos e trabalhos de pesquisa colaborativa com a Nova SBE e, ainda, mais de 50 organizações envolvidas em vários projectos da escola. A nova plataforma pretende “democratizar o acesso à produção teórica, científica e académica” e apresentar as melhores práticas de sustentabilidade de empresas, startups e os mais diversos projectos.

Além disso, a plataforma procura ser também um elo de ligação entre universidade e sociedade/empresas, no sentido de diminuir o fosso entre produção de conhecimento e aplicação prática.

O director da NOVA SBE acredita que o trabalho que a instituição desenvolve diariamente “só fica completo quando o mesmo está acessível a todos”. A nova plataforma pretende, por isso, ser um espaço de aprendizagem contínua, uma biblioteca aberta, onde se partilham recursos científicos e académicos diversos.