(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Já era certo que as férias do Carnaval iam desaparecer e que as férias da Páscoa seriam reduzidas. O que faltava clarificar era em que datas é que as escolas iriam interromper as aulas no final do 2.º período, informação enviada esta terça-feira aos agrupamentos de escolas pelo Ministério da Educação. Assim, as férias da Páscoa terão quatro dias, com início a 29 de março e fim a 1 de abril. Na prática, uma vez que sexta-feira santa, 2 de abril, é feriado, as escolas estarão encerradas durante a semana inteira. As férias do Carnaval, como tinha sido anunciado, desaparecem e a 12 de fevereiro serão conhecidas as novas data de provas e exames nacionais.

O motivo para manter a interrupção da Páscoa, ao que o Observador apurou, prende-se com a necessidade do corpo docente de fazer as reuniões de avaliação do segundo período, encontros fundamentais para se poder classificar os estudantes e publicar as pautas com notas. Assim, estes dias servirão exatamente para as reuniões de professores de final de período.



Apesar da informação ter sido enviada para as escolas, o Ministério da Educação terá ainda de publicar o despacho com a alteração ao calendário escolar, o que acontecerá a 12 de fevereiro, segundo a nota também enviada à comunicação social. Nessa data, para além da alteração do calendário escolar, o ministério de Tiago Brandão Rodrigues informa que será conhecido “o calendário final de provas e exames” — o que significa que as datas atuais irão sofrer mudanças — e a “alteração das datas de conclusão do terceiro período para os diferentes anos de escolaridade”.

Estas alterações servem para compensar a interrupção das atividades educativas e letivas que decorre entre 22 de janeiro e 5 de fevereiro devido ao confinamento imposto no país pelo Governo para tentar travar a escalada da pandemia de Covid-19.

A 8 de fevereiro as aulas serão retomadas na modalidade de ensino à distância.