(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Olá a todos que estão a ler isto, já há imenso tempo que gostava de partilhar a minha história acerca do acesso ao ensino superior.

Durante o secundário, sempre achei que queria seguir o curso de Bioquímica. Sempre tive o gosto pela investigação e pelas áreas de Biologia e Química. 

 Então, candidatei-me super entusiasmada a Bioquímica em todas as faculdades possíveis. Acabei por receber a melhor notícia de sempre em Setembro de 2018, tinha ficado colocada em Bioquímica na FCUL, na minha primeira opção. Sem dúvida, que mal recebi o email com as colocações estava aos pulos!

Então lá fui eu, mudei de cidade para seguir os meus sonhos. Posso dizer que inicialmente foi complicado, mas com a ajuda dos colegas da faculdade, dos meus pais e dos colegas de casa a adaptação foi mais rápida do que estava à espera. 



Contudo, em Novembro comecei a perceber que talvez não estaria no curso certo… Eu senti que não estava a fazê-lo com gosto, ia para as aulas desmotivada e aos poucos comecei a deixar cadeiras por fazer. Simplesmente não tinha motivação para estudar nem para ir às aulas… Não me conseguia imaginar a trabalhar num laboratório  o dia todo, sentia falta do contacto com pessoas.

Um dia acordei, e decidi desistir do curso, sentia que se continuasse no curso ia me desgastar e que ia começar a ganhar raiva a certas áreas como química.

Este foi mesmo o pior momento, senti que me tinha de voltar a descobrir-me… todo o meu secundário queria Bioquímica e agora não sabia afinal o que gostava….

Depois de muito pensar e informar-me percebi que o curso de sonho seria Medicina. E depois de analisar bem, percebi que lá no fundo sempre quis medicina desde pequena, mas por falta de confiança em mim e com medo do curso pelo facto de serem 6 anos exaustivos, tentei fazer-me acreditar que queria bioquímica.

Assim que desisti do curso, começei a estudar exaustivamente para os exames nacionais, inscrevi-me nos exames de Biologia e Geologia, Físico-Química A, Matemática A e Português. Além disso, inscrevi-me nas provas de equivalência à  frequência das opcionais de 12ºano, Biologia e Química. Posso dizer, que foi um ano muito pesado e cansativo.Acabei por me inscrever em quase todos os exames possíveis ahahah (tou a brincar, mas faltava apenas 1 linha no boletim de inscrição). Na altura dos exames, foi uma luta dura, calhei a ter 2 vezes numa semana, 2 exames no mesmo dia. De manhã fui a um exame e ia almoçar a casa e em 1 hora tinha de estar novamente na escola para fazer a prova de equivalência à frequência escrita e logo de seguida a prática. E isto acontece 2 vezes na mesma semana…E repeti o mesmo na 2fase dos exames, não desistia!

Contudo, não consegui subir o suficiente em certas disciplinas. As minhas notas de exames já são altas, mas as minhas opcionais de 12ºano estragam a média. Bastava 1 valor numa delas e já entrava em medicina. É algo que vai-me custar sempre muito! Mas no meio disto tudo estou orgulhosa porque tendo as circunstâncias e estudando apenas por mim consegui subir imenso. Por exemplo, consegui fazer melhoria a português e subi 4 valores, ainda mais tendo dificuldades nessa disciplina.

Tendo noção que não teria média para medicina, apesar de muito próxima decidi candidatar-me a Ciências da nutrição na NMS, e coloquei nas outras opções ciências da nutrição noutras faculdades. Guess what, fiquei colocada novamente na minha primeira opção Ciências da nutrição.  E foi a melhor coisa que me aconteceu! Não há mesmo palavras para descrever, agradeço que isto tenha acontecido! A NMS tornou-se a minha 2ªcasa e sem dúvida que o meu objetivo é continuar lá em medicina.

Mas pensam que desisti do sonho?! Não! Desafiei-me! Enquanto estou em nutrição, começei a trabalhar para os 3 exames nacionais para fazer melhorias (Matemática, BG, FSQ). Admito não tem sido nada fácil, mas quando temos um sonho temos de lutar por ele! Apesar de às vezes ficar um pouco triste por não poder aproveitar a vida académica a 100% nem me dedicar às cadeiras da faculdade, praxes e todas as atividades extracurriculares da faculdade, estou muito contente com a minha decisão! Tento encoragar-me dizendo que quando entrar terei isso e tempo para muito mais, uma vez que já terei equivalências.

Sem duvida que este ano está a ser incrível, e devo isso às pessoas que conheci nesta faculdade, desde colegas a professores. Apesar de ter um horário puxado e de muitas vezes andar a “dormir em pé”, sei que tudo vai ser compensado um dia. Acordava a maior parte dos dias às 6h da manhã, apanhar transportes, ir para a explicação, apanhar transportes e ir para a faculdade… e muitas vezes sair das aulas da faculdade e voltar novamente a apanhar transportes para ir para outra explicação, isto era a minha rotina todos os dias…

Entretanto, fomos obrigados a ficar retidos em casa… Mas sabem uma coisa, eu ainda não desisti! Continuo a fazer as cadeiras da faculdade, ir às aulas via Zoom, como também tou a ter as explicações para os exames nacionais nesse mesmo formato.

Mas tudo mudou quando anunciaram que as melhorias este ano não seriam permitidas. Sim chorei imenso…Neste momento fiquei mesmo desiludida com a situação, uma vez que, as melhorias para mim era o que me iria ajudar mesmo a entrar em medicina (já que as opcionais já não as posso mexer, e como são as notas mais baixas da pauta, estes dois 16 vão sempre me “deitar abaixo”). Ainda hoje, estou frustrada com esta esta decisão de retirarem as melhorias, uma vez que eu começei a trabalhar para isto em setembro e agora no fim do jogo mudam as regras?! Ainda mais que, sendo uma aluna que tira melhor notas em exames sinto que não deveria ser prejudicada. Além disso, as outras medidas que tomaram de que se a nota de exames anteriores descer a nota da disciplina, ficamos com a nota do exame, infelizmente nem mexem uma milésima da minha nota de candidatura.

Enfim, a sorte é que sou lutadora e não desisto! Vou continuar a trabalhar para arrasar em julho nos nacionais e em junho/julho nos exames da faculdade. E se continuar sem entrar em medicina em setembro, tudo bem tou pronta para um novo desafio! Já há plano B e C em mente, mas desistir nunca!

Sinto que depois deste meu percurso atribulado vou ser uma melhor profissional no futuro. E acredito que vou dar ainda mais valor quando entrar em medicina, e nada me vai deitar abaixo em medicina porque sem dúvida que este meu percurso me ensinou e preparou para os meus desafios de futura médica.

O único conselho que posso deixar a todos é mesmo não desistam, podem bater com a cabeça 100x, mas o importante é contornar a situação!!! São destas coisas que nos fazem crescer e um dia ser melhores naquilo que fazemos! Façam aquilo que gostam e sigam os vossos sonhos!

Espero ter inspirado alguém a seguir os seus sonhos!

Alguma coisa podem sempre me vir chatear, adoro partilhar o meu percurso “atribulado” do ensino superior.

Até uma próxima,

Katarina Serralha

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.