Foto de AntonKor Depositphotos.com

O que gostava de me ter apercebido antes de entrar na faculdade


Olá! Se estás a ler texto provavelmente é porque te irás candidatar este ano ao Ensino Superior e estás a tentar absorver toda a informação possível para sobreviver a esta etapa, ou então és um estudante universitário a tentar perceber como não “pirar” quando o semestre aperta, ou simplesmente alguém que quis ler isto por qualquer outra razão. Seja qual for a situação, espero que a minha experiência te possa ajudar um pouco a viver um percurso universitário mais calmo.

Terminei este ano a minha licenciatura e senti necessidade de partilhar a minha experiência, não tanto as coisas que correram bem, mas sim as coisas correram mal e tudo aquilo que aprendi com elas. Achei que fazia falta falar do “Lado B” do Ensino Superior, nem tudo são festas (e até podes não ser uma pessoa muito ligada a festas e não há problema nenhum com isso!), há dias maus, há cansaço e por vezes uma sensação de impotência tão grande que dás por ti com vontade de mandar o curso para as urtigas e dedicar-te  a outra coisa qualquer. E esse sentimento (até certo ponto) também faz parte do processo, no entanto percebi que tudo se torna mais fácil se aprenderes a relativizar as situações e tiveres em conta 4 realidades:

1. Falhar faz parte

Pode doer muito, afinal ninguém gosta de falhar, mas a verdade é que isso faz parte da vida. Não te esqueças que estás numa nova fase da tua vida em que necessitas de te adaptar constantemente: contrariamente ao secundário onde apesar das mudanças de professores e de disciplinas  os critérios de avaliação eram mais ou menos semelhantes, na faculdade os métodos  de avaliação  além de um pouco mais exigentes são bastante diferentes de professor para professor, assim como os critérios da mesma o que leva a que tenhamos que adaptar o nosso método de estudo ao exigido por cada unidade curricular. Por outro lado, muitos de nós estão sozinhos numa cidade nova e têm que ser responsáveis por cuidar das suas casas e tudo o que isso acarreta e conciliar isso com os estudos. Com todas estas alterações tens que te ir adaptando constantemente até entenderes o que é que funciona bem no teu caso e no meio desse processo há vezes em que vais falhar, ter  notas mais baixas  ou mesmo chumbar, e não é o fim do Mundo!. O mais importante é nunca desistires de concretizar os teus objetivos e de ser feliz!

2. Guarda sempre um tempo para ti e para os teus

Não importa quanto tenhas para ler e para fazer, nunca por nunca deves descurar um tempo para ti ,para estares com os teus amigos e família, ver um filme, simplesmente existir . Necessitas disso para que o teu cérebro tenha energia e motivação para as tarefas mais complicadas. Acredita, aprendi isso da pior maneira!

 Por isso tens que aprender a rentabilizar o teu tempo de estudo. Tenta perceber como é que interiorizas melhor a matéria-tens de fazer os teus próprios apontamentos? Ou preferes ler diretamente dos livros e fazer fichas de leitura? -e tenta guardar mais tempo para aquilo que te faz mais efeito em ti. Podes ainda pedir ajuda a alguém de confiança e ajudam-se mutuamente, por exemplo se apontamentos não é o teu forte  e tens alguém de confiança que os faça bem pede. Imagina que és bom a resumir ou a ler depois trocam fichas de leitura e apontamentos e assim poupam tempo conseguindo aproveitar mais a vida e ter um estudo mais eficiente ?

3. Precisamos mais uns dos outros do que aquilo que pensamos

Já para não falar da questão de entreajuda que comecei por mencionar no ponto anterior, é importante rodearmo-nos de pessoas que estejam a passar pelas mesmas situações do que nós para ganharmos forças para lutar!

Durante o decorrer dos semestres tendemos a achar que somos os únicos a passar por determinada situação que todos os outros estão super adiantados nos trabalhos quando nós ainda nem os começamos a fazer, que toda a gente é mais organizada que nós ou que todos percebem exatamente a matéria, só nós é que sentimos dúvidas e saudades de casa. Mas a verdade é que estão todos na mesma situação que tu, e ao falar vais perceber que muitas das inseguranças que estavas a construir na tua cabeça não são apenas tuas o que faz com que te sintas mais compreendido e aliviado. Inclusive em conversa uns com os outros podes perceber que os outros também podem ter os seus problemas e em conjunto podem encontrar soluções para ambos os casos.

4. As notas não definem o teu valor

Esta eu já ouvia antes, mas só na faculdade é que me apercebi verdadeiramente: as notas não definem o teu valor nem aquilo que tu sabes. Por favor nunca te esqueças disso! Uma nota é o reflexo de tantas coisas: a maneira como escreves, como te expressas, como explicas aquilo que sabes, se o  professor gostas ou não da tua escrita.. Por isso independentemente da nota , o importante é tentares melhorar um pouco todos os dias e nunca  desistires!

Estes são os principais ensinamentos que tiro da minha experiência académica, espero que te consigam ajudar a ter um percurso universitário mais feliz e muito boa sorte nesta nova aventura!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.