Oito dos 20 novos cursos superiores que vão abrir no próximo ano lectivo são Engenharias. Esta era já a área de estudos com mais vagas no concurso nacional de acesso, mas as instituições decidiram reforçar a sua aposta. No total, há quase 9400 lugares para quem pretende ser engenheiro.

Estas novas formações no ensino superior totalizam 505 vagas no concurso nacional de acesso. Há dois novos cursos de Engenharia em institutos politécnicos: o do Cávado e do Ave, em Barcelos, criou um curso de Engenharia Informática Médica, ao passo que o Politécnico de Viseu tem agora oferta de Engenharia Alimentar.



Nas universidades, há novas formações em Engenharia Electrónica e Telecomunicações e Engenharia Civil (Universidade da Madeira), Engenharia e Gestão Industrial (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) e Bioengenharia e Engenharia Alimentar (Universidade do Algarve). Já a Universidade do Porto criou um novo curso de Engenharia Geoespacial.

Os outros cursos noutras áreas que abrem vagas este ano e não abriram no ano passado são: Gestão e Planeamento em Turismo (Universidade de Aveiro), Matemática e Aplicações (Universidade da Beira Interior), Enologia (Universidade de Évora), Negócios Internacionais e Estudos Portugueses (Universidade do Minho), Finanças (Universidade de Lisboa, com aulas em inglês), Audiovisual e Multimédia (Instituto Politécnico de Beja), Desporto (Instituto Politécnico do Porto), Zootecnia (Instituto Politécnico de Santarém) e Gestão da Edificação e Obras (Instituto Politécnico de Tomar).

Entre os novos cursos, destaque também para o de Ciência de Dados criado pelo ISCTE — Instituto Universitário de Lisboa. Esta formação superior funciona em dois regimes (diurno e pós-laboral), totalizando 70 novos lugares a partir do próximo ano lectivo.