(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Hoje em dia maior parte dos jovens não sabem o que querem ser e, consequentemente, têm dificuldade em perceber qual o caminho profissional certo para eles.

Já acompanhei imensos jovens [individualmente e em grupo através de palestras e formações] e cada vez mais me apercebo desta realidade. Não se enganem, não é novidade.

Quando eu terminei o secundário aconteceu o mesmo com muitos colegas meus. Hoje vejo jovens que acompanhei a passarem por isso, amanhã vou ver a minha irmã e os seus colegas passarem por isso… Há uma espécie de padrão que se repete anualmente e com o qual cada um de nós lida de forma diferente.



Na minha opinião isso está diretamente relacionado com o facto de sermos jovens e de termos 17/18 anos quando temos de tomar essa decisão.

Não estou aqui para pôr “paninhos quentes” a ninguém mas a verdade é que é complicado tomar uma decisão que esteja alinhada para o resto da vida! Porque se escolheres Farmácia aos 18, quando tiveres 38, à partida, serás farmacêutico. E quando tiveres 58? Bom…Farmacêutico serás. Talvez que aos 68 sejas dono de uma Farmácia, só para teres alguma novidade antes de te reformares como farmacêutico de sucesso.

Quer dizer, ao longo da vida nós:

  • Mudamos de gosto no que toca à roupa.
  • Mudamos de gosto no que toca à música.
  • Mudamos de gosto no que toca aos filmes.
  • Mudamos de gosto no que toca àquilo que valorizamos nos amigos.
  • Mudamos de gosto no que toca àquilo que valorizamos numa relação.
  • Mudamos de gosto no que toca, basicamente, a 99% da nossa vida.

MAS (!) é suposto tomarmos uma decisão que fique connosco e que esteja alinhada com o que queremos para o resto da vida! Porquê?!

A resposta é: Não temos.

Não tens de tomar uma decisão hoje que esteja alinhada a 100% com tudo aquilo que é o resto da tua vida. Sabes porquê? Porque maior parte das coisas na tua vida vão mudar! E não é uma estratégia inteligente mudares tudo à tua volta excepto aquilo que fazes profissionalmente porque “há 23 anos atrás decidi ir para veterinário”. A mudança faz parte da nossa vida!

“Então isso quer dizer que não interessa aquilo que eu sigo?” Nada disso.

É importante passares tempo a conhecer-te e a descobrires o que é que tu gostas de fazer e como é que podias transformar isso numa área a explorar.

É importante investigares essa mesma área, perceberes como é que podes preencher uma necessidade no mercado de trabalho e explorares essa vertente.

No entanto, não tem de estar 100% alinhado porque nunca vai estar.

Ultimamente tenho discutido muito esta questão de saídas profissionais e cursos com duas das pessoas mais próximas que tenho na vida e por isso tenho pensado sobre isso e cada vez mais convenço disto: Tu não encontras a tua paixão, tu constróis a tua paixão. (lê outra vez para ficares com isto tatuado na tua cabeça)

Acredito mesmo que mais que encontrar essa paixão, tu tens de a construir, de a viver, de perceber o que resulta ou não!

Qualquer pessoa que me conheça minimamente sabe que eu adoro fazer aquilo que faço. Isso quer dizer que está 100% alinhado? Não! Nunca! Há dias em que me pergunto se este será o caminho ou se deveria estar a fazer outra coisa! Ou se deveria fazer isto mas para outro público ou de outra forma.

E cada vez que respondo a uma das questões que aparece sinto-me mais alinhado, sim, mas apenas para descobrir uma qualquer outra pergunta mais à frente. Porque esta ilusão de que o “100% de certeza” aparece como magia é mesmo isso, uma ilusão.

Pára de esperar pela sensação de que os planetas estão todos alinhados, os astros a teu favor e os Santos todos a olhar por ti, porque essa sensação, a sensação do caminho perfeito, dum flow eterno, de uma certeza absoluta sempre, não existe! O que existe é um caminho para percorrer.

E esse caminho vai sempre ter altos e baixos. Qualquer pessoa que te diga que não está a enganar-te. Toda a gente tem estas dúvidas, estas questões.

Por isso acalma-te e começa a explorar áreas que gostes e assim que sentires que descobriste uma que gostavas de explorar, que te vês a explorar, então assume-a como tua e vai fazer caminho. Percebe como é que podes acrescentar valor às pessoas que te rodeiam.

Nós precisamos de ti e daquilo que tens para nos dar!

Porque é assim que começas a CRIAR a tua paixão.

Porque é assim que sabes que estás no caminho certo.

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.