Plataforma para a saúde mental desenvolvida em Coimbra vence prémio internacional

Foto de Emily Underworld / Unsplash

Uma plataforma de estudantes para prevenir problemas de saúde mental junto da comunidade académica, desenvolvida por uma equipa da Universidade de Coimbra, venceu a competição internacional `EIT Health Innovation Days`.

“É um orgulho para nós sabermos que uma equipa multidisciplinar da UC [Universidade de Coimbra] conseguiu, pela primeira vez, ganhar este prémio europeu numa área tão relevante”, afirma, em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a vice-reitora para a investigação e doutoramentos, Cláudia Cavadas.

Intitulada `MyCare`, a plataforma tem como objetivo promover a melhoria da saúde mental na fase de prevenção e tratamento, promovendo a literacia e combatendo o isolamento através de uma solução integrada de promoção de atividades sociais e acesso facilitado a apoio especializado e a serviços de tratamento na área da saúde mental.

A equipa da UC responsável pela plataforma é composta pelos estudantes Kevin Leandro, Jeferson Filipe, Milena Alves e a investigadora Susana Paixão.

A sessão final da competição internacional `EIT Health Innovation Days` decorreu no sábado, onde foram apresentados os 10 melhores projetos selecionados de entre os vencedores das 26 fases regionais que decorreram em outubro e novembro em outras tantas localidades europeias.

Avaliados todos os projetos, a solução `MyCare` foi a grande vencedora da final europeia.

Além do apoio no desenvolvimento do projeto e o prémio de 500 euros que já tinha ganho anteriormente, na fase regional (Coimbra Innovation Days), a equipa vai receber apoio e mentoria de especialistas do `EIT Health`, por forma a desenvolver o conceito de negócio.

Terá ainda a oportunidade de se deslocar à `EIT Health Summit`, que decorre em maio de 2022, em Estocolmo (Suécia).

A equipa de Coimbra “analisou com atenção a realidade que nos rodeia, no que diz respeito à saúde mental, e reparou numa área específica que carecia de melhoria e na qual acharam que poderiam acrescentar valor”, refere a vice-reitora Cláudia Cavadas.

“Aprofundaram o seu conhecimento sobre este problema, auscultando no terreno as partes interessadas, e propuseram uma solução que achamos bastante inovadora e original. É também muito importante saber que um júri europeu tenha reconhecido o mérito desta equipa e deste projeto, dando-lhes agora a oportunidade de crescer e amadurecer o conceito”, concluiu.

O Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (EIT) é um organismo da União Europeia criado em 2008 para reforçar a capacidade de inovação da Europa e promove a inovação, integrando as empresas, a educação e a investigação, a fim de encontrar soluções para os desafios globais prementes.

Reúne mais de 1.000 parceiros e estabelece a ligação entre os mesmos, dando aos inovadores e empresários de toda a Europa, os meios para transformarem as suas melhores ideias em produtos, serviços, emprego e crescimento.

O EIT é parte integrante do programa-quadro de Investigação e Inovação da União Europeia (Horizon2020).