(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A International Space University (ISU) atribuiu à Agência Espacial Portuguesa, Portugal Space, e ao Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, a organização da próxima edição do Programa de Estudos Espaciais (SSP na sigla inglesa), entre julho e setembro de 2022.

A decisão foi conhecida na passada terça-feira, dia 23 de fevereiro, com a ISU a recompensar “a elevada qualidade da proposta” apresentada por Portugal e trará ao país mais de uma centena de estudantes, professores e especialistas de Espaço da ESA, NASA e outras agências espaciais.

“O Conselho de Administração da ISU reconheceu a elevada qualidade da proposta apresentada pela Agência Espacial Portuguesa e pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa e decidiu realizar o Programa de Estudos Espaciais de 2022 (SSP22) na região de Lisboa, Portugal, no período de junho-agosto”, lê-se no comunicado disponibilizado pela instituição de ensino internacional.

Inspirada na ligação de Portugal ao mar, a proposta portuguesa prevê que o SSP22 verse sobre a temática da observação da terra, o oceano e as alterações climáticas. O programa, que tem um forte apoio de todos os departamentos e centros de investigação ligados ao Instituto Superior Técnico, irá incluir também o contacto dos alunos com o ecossistema espacial português, prevendo-se visitas de campo a centros de investigação e empresas nacionais, incluindo startups.

Relativamente à realização do SSP, a previsão é para que esta aconteça nos campos do IST na Alameda, em Lisboa, ou no Taguspark, em Oeiras, uma decisão que só será concretizada e divulgada nos próximos meses pela ISU.

“É uma enorme honra ver Portugal selecionado como destino da edição de 2022 do SSP. É mais um passo na concretização da estratégia Portugal Espaço 2030 uma vez que coloca a Agência Espacial Portuguesa como promotor de oportunidades associadas à educação e ao desenvolvimento de capacidades do setor espacial e ligada a uma universidade internacionalmente reconhecida no nosso setor”, afirma em nota de imprensa Hugo Costa, diretor da Agência Espacial Portuguesa e alumnus da ISU.

“É também uma oportunidade para fazer um show-case das capacidades nacionais e aproximar a nossa indústria e a nossa academia às principais agências internacionais e indústria mundial”, acrescenta ainda.

Do outro lado, “o Instituto Superior Técnico tem muito orgulho em ter sido selecionado, na sua candidatura conjunta com a Portugal Space, como a primeira instituição de ensino superior portuguesa a receber esta importante escola em Ciências e Tecnologias do Espaço. Temos várias linhas de investigação e de ensino focadas no Espaço, será entusiasmante podermos partilhar e aprender com os melhores especialistas a nível mundial e receber os alunos mais empenhados”, afirma Rogério Colaço, Presidente do Instituto Superior Técnico.

O Programa de Estudos Espaciais

Relativamente ao programa (SSP) que toma aqui o protagonismo, este é caracterizado como uma sendo uma experiência intensa de desenvolvimento profissional, pensado para estudantes pós-graduados e profissionais das mais variadas disciplinas. O curso tem a duração de dois meses e cada edição tem tradicionalmente 120 participantes de 25 ou mais nacionalidades.

Com o seu aparecimento no final da década de 80, o SSP acontece todos os anos num local diferente do mundo e “promove uma experiência num ambiente de trabalho internacional e interativo e em rede que conduz à criação de uma extensa rede profissional internacional e multidisciplinar, composta por antigos alunos do programa, membros do corpo docente da ISU e professores convidados.”