(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Através de um comunicado divulgado no Facebook, o Magnum Consillium Veteranorum da Academia do Porto anunciou “a suspensão de todas as atividades de praxe”, com base na situação pandémica atual.

Em meados de agosto apenas Coimbra tinha assumido oficialmente a permanência da receção aos caloiros, recorrendo à utilização de máscara. As restantes comissões de praxe aguardariam até setembro por mais informações correspondentes às aulas presenciais. O Porto quebrou o silêncio esta terça-feira.



“A Tradição Académica, nas suas variadas vertentes, configura-se como uma componente integrante e indissociável da frequência do Ensino Superior em Portugal” pode ler-se na publicação emitida no Facebook oficial do Conselho de Veteranos, que evoca a preocupação pela “presente situação de pandemia”, bem como “indispensáveis necessidades de prevenção e protecção da saúde pública”, apesar do desejo assumido em perpetuar as atividades anuais.

“Reiteramos o sentido de responsabilidade de cada um, que se protejam e cumpram as regras, para que a curto prazo possamos estar novamente juntos!”, concluem os representantes após decretada a suspensão da praxe.

Em julho, o Cabido de Cardeais, grupo que gere a praxe na Universidade do Minho,anunciou o regresso das praxes presenciais, dependendo da decisão de cada curso. A iniciativa gerou contestação por parte do reitor, da Associação Académica e até da Junta de Gualtar, em Braga, que levou ao seu recuo dois dias depois.