(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O Speak, projecto social que pretende integrar imigrantes nas cidades através do ensino de línguas, adaptou o modelo de aulas para a Internet e vai dar acesso gratuito a todas as aulas para ajudar a combater a solidão durante a quarentena imposta pelo novo coronavírus. 

Numa publicação no site do projecto, foi anunciada a criação de grupos online de línguas, grátis, “para ajudar a quebrar a barreira do isolamento social que todos estamos a ser obrigados a viver”.

Os cursos, que até agora funcionava apenas de forma presencial. junta refugiados e locais de várias partes do mundo, com vista também a quebrar estigmas e preconceitos.



Para entrar num grupo é necessário fazer o registo na página. Os participantes podem contribuir com donativos para o projecto ou entrar de forma totalmente gratuita. Após o registo, basta aceder ao link que dá acesso ao grupo escolhido. Nesse grupo, a pessoa já vai encontrar um buddy, que é a pessoa que coordena os grupos. 

Os grupos reúnem via Skype, geralmente em horários pós-laborais a nível europeu, mas o horário pode alterar, conforme a disponibilidade dos participantes. Cada turma é formada por 4 a 7 participantes.

“Já disponibilizamos à volta de 20 línguas. As mais populares são as europeias: português, inglês, francês, italiano, alemão e espanhol”, diz Mariana Brilhante ao P3. Mas mandarim, árabe e russo têm vindo a ganhar mais interessados. 

A mesma publicação refere que a resposta tem sido “muito positiva”: desde esta segunda-feira, 23 de Março, já 100 grupos ficaram completos e houve cerca de 600 inscrições. Os grupos intensivos de línguas decorrem em dez sessões diárias, de 90 minutos cada, de segunda a sexta-feira. Os novos grupos vão abrir todas as segundas-feiras, até ao final de Maio.