No ano letivo corrente, ainda há quase 17 mil estudantes (16.920) de universidades e politécnicos portugueses que não sabem se têm direito a bolsa de estudo, escreve o “Diário de Notícias” (DN), na edição desta quarta-feira, 16 de janeiro.



De acordo com os dados facultados pela Direção-Geral do Ensino Superior, foram pagas 50.502 bolsas de estudo (menos do que em termos homólogos, altura em que foram pagas 54.874 bolsas) e ainda existem 12 mil candidaturas (13% do total) nos serviços das universidades à espera de uma decisão. A estas somam-se mais cinco mil que ainda não avançaram por falta de informação.

Em causa estão problemas informáticos nos sistemas das Finanças e da Segurança Social e os dos Serviços de Ação Social. “Sabemos que existem serviços, das Finanças e da Segurança Social, que deviam enviar informação e que não enviam, sabemos que o atraso não é só da Universidade de Évora”, afirmou ao DN Ana Rita Silva, presidente da Associação Académica da Universidade de Évora, cuja faculdade é das mais atrasadas na análise das candidaturas.

No ano passado, quase 65 mil alunos do superior tiveram direito a bolsa, cerca de 40% das quais terão sido apenas para pagar o valor das propinas.