(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O curso de Medicina da Universidade Católica Portuguesa (UCP) foi acreditado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES), anunciou nas redes sociais a reitora da instituição. Será o primeiro curso privado de medicina e a acreditação acontece após um chumbo, em 2019.

Isabel Capeloa Gil escreveu no Twitter que o “Curso de Medicina da Universidade Católica acaba de ser acreditado pela A3ES. Um grande dia para o Ensino Superior e para o sistema científico nacional”.



Após o chumbo em 2019, a Católica apresentou recurso da decisão e entregou nova proposta. Entretanto no fim de Julho a Agência para a Avaliação e Acreditação do Ensino Superior tinha referido que decidiria até ao final da semana seguinte que destino teriam os três projetos para a criação de cursos de Medicina por universidades privadas. A resposta positiva, pelo menos para a Universidade Católica, chegou agora. As outras duas propostas que estariam a ser analisadas eram da Universidade Fernando Pessoa e a Cooperativa de Ensino Politécnico (CESPU), cujo resultado até agora não é conhecido.

Em declarações à Renascença na altura, o presidente da agência, Alberto Amaral, referia que só aguardavam o parecer da Ordem dos Médicos. Avisava na altura, “espero que a Ordem dos Médicos também não demore muito, senão teremos de avançar sem o parecer da Ordem dos Médicos”. Adiantava ainda que esperaria até ao final do mês de julho para receber o documento, caso contrário tomaria a decisão sem ele. Não é conhecido se a Ordem dos Médicos chegou a emitir um parecer e em que sentido.

António Almeida, diretor da comissão instaladora da Faculdade de Medicina da Universidade Católica, referia na mesma altura que, se o curso fosse aprovado, haveria condições para que pudesse avançar já no próximo ano letivo.