(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Bem vindo a mais uma das minhas aventuras!!

Desta vez, trago-te uma notícia bastante recente e que me encheu o coração por completo. É com todo o orgulho que te digo que sou oficialmente licenciada!! Significa toda uma conquista com um sabor inigualável. Olhando para trás, consigo valorizar o meu esforço em todo este processo. Foram imensos os desafios, foram algumas as quedas e os tormentos, mas também confesso que sentirei saudades daquele friozinho na barriga com a chegada das avaliações, o convívio com os amigos, aquela rotina intensa que na altura só queremos que acabe mas pela qual mais tarde ficamos saudosos. Foi há meia dúzia de dias que estava finalmente a preparar-me para a minha defesa final. O grande dia tinha chegado. O júri estava reunido, a minha família estava presente, até a minha coordenadora de curso lá estava e o coração batia a mil. Felizmente tudo correu pelo melhor, tive uma excelente nota, recebi vários abraços do tamanho do mundo, lágrimas de felicidade foram derramadas e tudo parecia certo. O dever estava cumprido!



Aquela felicidade que invadira o meu coração durou dias. Ainda mal conseguia acreditar que tinha concretizado este sonho. Até que ao final de alguns dias, a ficha caiu e tudo se começou a desmoronar. Foram milhares os currículos enviados até à data, a expectativa era grande, mas foram milhares as respostas negativas. É um choque que todos temos com a realidade de que uma licenciatura é apenas isso, não serve para nada nos dias de hoje, não nos torna diferente dos demais, para as empresas somos apenas uns zés-ninguéns com muitos sonhos em mente mas para os quais não há espaço. Não quero com isto dizer que pensava que com uma licenciatura seria alguém mais especial que o vizinho do lado, ou que teria as empresas aos meus pés. Mas é difícil e angustiante quando as empresas apenas querem pessoas com anos de experiência em cima, com n certificações, e não estão dispostas a dar uma única oportunidade, a quem ainda não tem traquejo mas que tem toda a vontade de o ter.

É triste estarmos num país onde só quem tem cunhas é que tem as oportunidades certas. É esmagadora a sensação de todo o nosso esforço até à data ser considerado uma caixa vazia, sem valor algum.. Recordam-se do caso da enfermeira que em Portugal não tinha qualquer valor e estava desempregada e assim que arriscou ir para o Reino Unido recebeu reconhecimento e até 2 prémios de valorização? O que aconteceu com ela, acontece com a esmagadora maioria dos jovens com formações superiores neste país. Estará o governo a ser justo? Estarão as empresas a desperdiçar talentos por falta de vontade em dar oportunidade?

Certamente que sim! Um dia tudo isto dará uma volta gigante e serão essas mesmas pessoas a suplicar aos jovens para que voltem para as suas casas. Não duvido disso.

A mim resta-me continuar nesta guerra, a insistir e a suplicar por uma oportunidade de mostrar o meu valor. Se a terei? Não sei, mas sei que desistir não é uma opção e seja em Portugal ou do outro lado do mundo, acredita que tanto eu como tu, teremos a nossa oportunidade de brilhar!

Colabora!

Este texto faz parte de uma série de textos de opinião de alunos do ensino secundário e superior sobre a sua visão do ensino e da educação.

Gostavas de publicar um texto? Colabora connosco.