Técnico relança projeto de centro de inovação e académico no Arco do Cego


O direito de superfície sobre a antiga estação da Carris no Arco do Cego, em Lisboa, foi cedido pela Câmara Municipal ao Instituto Superior Técnico (IST) há cerca de 10 anos, mas só agora, depois de garantidos os 12 milhões de euros necessários ao investimento e acertado o projeto que melhor concretizaria o objetivo de servir alunos e professores do IST e a cidade, vai avançar. O projeto já tinha sido apresentado em 2015 e estava previsto ter ficado concluído no início de 2017.

A primeira pedra do Técnico Innovation Center, que funcionará na antiga gare do Arco do Cego, entre as instalações da escola na Alameda e o Saldanha, foi colocada hoje, devendo as obras estar concluídas até julho de 2023. O enorme espaço, de quase 5 mil m2, funcionará, em primeiro lugar, como uma montra da investigação e inovação desenvolvidas nos vários departamentos e centros do IST e em colaboração com os parceiros empresariais, explica o presidente do Instituto, Rogério Colaço.

Haverá uma programação anual de eventos, feiras e mostras, assegurando uma exposição permanente e aberta a quem passa nas ruas envolventes.

Além deste espaço para a exposição da ciência feita no Técnico, a antiga estação terá ainda salas de estudo abertas 24 horas por dia (que sairão das instalações na Alameda) e um espaço de alimentação, que ajudará a garantir a sustentabilidade financeira do projeto, erguido apenas com investimento privado, sublinha Rogério Colaço.

Os 12 milhões de euros foram conseguidos através da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional de Lisboa Vale do Tejo, de receitas próprias do Técnico e ainda de doações de parceiros, com destaque para a Fidelidade, que assume o papel de principal mecenas do projeto.