(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Antecipando os efeitos que “a retração da atividade económica” poderá ter nas famílias, e para “prevenir o abandono da instituição por estudantes em dificuldades financeiras”, a Universidade Católica Portuguesa (UCP) anunciou o reforço do seu serviço de apoio social, com a criação do Fundo Solidariedade COVID.

De acordo com o comunicado enviado ao Uniarea pela UCP, o fundo “terá uma dotação inicial de 150 mil euros” e a ele terão acesso os alunos “em situação de fragilidade a frequentar ciclos de estudos na instituição”.



O documento cita a reitora da UCP, Isabel Capeloa Gil, que destaca que “perante uma situação sem precedentes, a missão da universidade, além de contribuir com conhecimento e soluções científicas para o combate à pandemia, é a de assegurar a formação de qualidade aos seus estudantes, para que o país possa ter um futuro pós-COVID”.

“As soluções técnicas que fornecemos para o ensino remoto, 24 horas após a suspensão das aulas presenciais, são apenas um lado da equação. Igualmente importante é assegurar o equilíbrio da comunidade de estudantes e dar, na medida das nossas possibilidades, o apoio financeiro necessário para que possam atingir os seus objetivos académicos”, refere ainda a reitora, para justificar a criação do Fundo.

Segundo os dados disponibilizados pela instituição, em 2019 o apoio social da Católica “abarcou 2.250 alunos”.