A Universidade de Lisboa destronou a sua congénere do Porto na liderança portuguesa do ranking mundial das universidades elaborado desde 2012 pela empresa de consultoria britânica Quacquarelli Symonds (QS World University Rankings 2020). Os resultados divulgados nesta quarta-feira mostram que das sete universidades portuguesas representadas nesta listagem, duas sobem por comparação ao ano passado (Universidade de Lisboa e Universidade Nova de Lisboa), quatro descem de posição (Porto, Coimbra, Aveiro e Católica) e uma mantém-se no mesmo lugar (Minho).

No ranking da QS estão avaliadas mil universidades, sendo que a partir do meio da tabela as instituições são alinhadas em intervalos. Pelo oitavo ano consecutivo, o primeiro lugar volta a pertencer ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT na sigla em inglês). E os dois lugares seguintes continuam também a pertencer aos Estados Unidos da América e às mesmas (Stanford e Harvard).



Nos dez primeiros lugares figuram cinco universidades europeias, das quais quatro são britânicas (Oxford, Cambridge, UCL, Imperial College London). A outra europeia é o Instituto Federal de Tecnologia da Suíça. Todas elas já estavam antes no top 10 deste ranking.

A listagem da QS avalia cinco parâmetros: reputação académica, que vale 40% da cotação global; reputação entre os empregadores (10%), citações académicas por faculdade (20%), rácio professores/alunos (20%), proporção de estudantes ou professores internacionais (5% cada).

As universidades portuguesas que constam deste ranking diferenciam-se no que respeita aos seus pontos fortes. Em relação às três primeiras classificadas, a Universidade de Lisboa (UL), que subiu 17 lugares na cotação global, distingue-se pela reputação académica (40,5 pontos em 100). Este indicador traduz a apreciação que é feita entre pares, no caso através de inquéritos a cerca de 95 mil docentes e investigadores. A UL é também entre as instituições portuguesas a que tem a maior pontuação no que toca à sua reputação entre os empregadores (28,1 pontos).

A Universidade do Minho é a que tem uma melhor pontuação no que toca ao rácio professores/estudantes (31,4 pontos). Este indicador premeia as instituições que têm menos alunos por professor por considerar que deste modo se garante um melhor acompanhamento dos estudantes. Em média, Portugal tem 14 alunos por professor. No Minho este valor é 9,3.

A Universidade de Coimbra está à frente na proporção de estudantes internacionais (19%) e por isso arrecada 57,2 pontos neste parâmetro. A Nova de Lisboa tem a melhor pontuação quanto à internacionalização do seu corpo docente e discente (43,8 pontos). E Aveiro está à frente (59,4 pontos) quando o padrão de medida é o número de citações de trabalhos ali realizados.

Lugares no ranking das universidades portuguesas:

  • Universidade de Lisboa – 338º (355º no de 2019)
  • Universidade do Porto – 353º (328º no de 2019)
  • Universidade de Coimbra – 406º (407º no de 2019)
  • Universidade Nova de Lisboa – 421º (405º no de 2019)
  • Universidade de Aveiro – 551-560º (531-540º no de 2019)
  • Universidade do Minho – 651-700º (651-700º no de 2019)
  • Universidade Católica Portuguesa – 801-1000º (751-800º no de 2019)