Este artigo foi republicado com as datas e informações para o concurso de acesso 2020/2021.

A 1ª fase dos exames nacionais do ensino secundário acabou no passado dia 23 de julho. Com os resultados a serem divulgados esta segunda-feira, temos recebido várias dúvidas relativamente à 2ª fase de exames, e a utilização dos mesmos quer para efeitos de melhoria da Classificação Final da Disciplina, como para efeitos de prova de ingresso, na candidatura ao ensino superior. Valerá a pena repetir os exames nesta fase?

É o que vamos tentar responder neste artigo, separando o cálculo da Classificação Final da Disciplina da utilização do exame nacional como prova de ingresso. Para os que ainda estão perdidos com o primeiro cálculo, é só visitar a nossa página: com que nota fico à disciplina considerando o exame? Vê aqui.  (este ano, no seguimento das medidas excepcionais da pandemia, os exames não conta para a CFD, pelo que este cálculo deixa de fazer sentido).



Cálculo da Classificação Final da Disciplina

No seguimento das medidas excepcionais tomadas pelo governo no contexto da pandemia foi decidido que os exames nacionais deixaram de contar os 30% para a Classificação Final da Disciplina, contando apenas como prova de ingresso. Foi também decidido que deixaria de ser possível realizar melhorias das classificações das disciplinas.

Neste sentido, no que toca à Classificação Final da Disciplina os exames não têm qualquer efeito. A mesma foi calculada este ano a 100% com apenas a nota interna do aluno, tendo posteriormente sido decidido que o mesmo benefício seria dado aos que concluíram as disciplinas em anos anteriores com exames de 2018 e 2019, se isso lhes for benéfico.

E, portanto, não há mais a dizer. A anterior versão do artigo traçava vários cenários para a melhoria das classificações finais das disciplinas para os alunos do 11º e do 12º anos que deixam de fazer sentido no enquadramento destas medidas excepcionais, devido a não ser possível fazer melhorias, pelo que foram removidas.

Sobre os que nos têm enviado mensagens sobre a possibilidade de fazer melhorias no próximo ano, não há ainda uma resposta concreta. Mas, assumindo que as medidas excepcionais apenas se aplicam este ano, tudo volta ao normal no próximo, incluindo a possibilidade de fazer as melhorias do diploma e as melhorias para efeitos de acesso ao ensino superior.

Para acabar, deixamos o alerta que, caso devido a um exame da 1ª fase não consigas completar uma determinada disciplina, mas na 2ª fase já o venhas a fazer, ficas impedido de concorrer à primeira fase de candidaturas desse ano, uma vez que para efeitos desta fase não tens o ensino secundário concluído.



Utilização do exame como Prova de Ingresso

No caso da utilização do exame para satisfazer a prova de ingresso que um determinado curso pede, existem algumas alterações relativamente ao caso anterior.

Para a 1.ª fase de candidaturas, a classificação que vai ser considerada, de forma automática, para cada uma das tuas provas de ingresso é a melhor das seguintes classificações do exame nacional correspondente à prova:

  • Classificação obtida na 1.ª fase de exames de 2020;
  • Classificações obtidas na 1.ª fase de exames de 2018 e de 2019;
  • Classificações obtidas na 2.ª fase de exames de 2018, 2019 e de 2020 em disciplinas que não integram o plano de estudos do teu curso de ensino secundário e cujo exame coincidia em dia e hora de realização com um exame da 1.ª fase efetivamente realizado por ti.

Para a 2.ª e 3.ª fases do concurso de 2020, a classificação que vai ser considerada, de forma automática, para cada uma das suas provas de ingresso é a melhor das classificações do exame final nacional correspondente à prova obtidas na 1.ª ou na 2.ª fase dos exames de 2018, 2019 e 2020, podendo misturar exames das várias fases.